Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Obama e Hillary fecham Superterça praticamente empatados

Equilíbrio na disputa democrata marca maratona de prévias; republicano McCain dispara e se declara "favorito"

Agências internacionais,

06 de fevereiro de 2008 | 05h29

A votação da Superterça - que concentrou o maior número de prévias num mesmo dia até agora na corrida pela nomeação presidencial dos partidos Republicano e Democrata nos EUA - mostrou os senadores democratas Barack Obama e Hillary Clinton em uma disputa acirrada para conseguir a maioria dos 2.064 delegados em jogo em 24 Estados. Do lado republicano, o pré-candidato John McCain assumiu uma posição confortável na disputa pela indicação do seu partido para concorrer à Casa Branca.   McCain dispara após vitórias na 'Superterça'  Definição segue caminhos divergentes Corrida eleitoral deve seguir por semanas Superterça atrai multidão e cria confusão   Veja as imagens da Superterça   Especial eleições americanas   Cobertura completa das eleições nos EUA   A apuração dos votos foi concluída na maioria dos Estados. O democrata Barack Obama venceu na Geórgia, Illinois, Delaware, Alabama, Dakota do Norte, Kansas, Connecticut, Minnesota, Idaho, Colorado e Alasca. A também democrata Hillary Clinton teve o maior número de votos em Oklahoma, Arkansas, Tennessee, Nova York, Massachusetts, Nova Jersey, Missouri, Arizona e Califórnia. Entre os republicanos, John McCain levou a melhor em Nova Jersey, Illinois, Connecticut, Nova York, Oklahoma, Delaware, Arizona, Missouri e Califórnia. Já Mitt Romney venceu em Massachusetts, Dakota do Norte, Montana, Minnesota, Colorado e Alasca. E Mike Huckabee saiu vitorioso no Arkansas, Alabama, Geórgia, Virgínia Ocidental e Tennessee. As campanhas dos dois candidatos democratas disseram esperar que a contagem de delegados nos Estados termine dividida. "Acreditamos que os delegados ficarão muito próximos e podemos acabar com uma pequena vantagem", afirmou o diretor da campanha de Obama, David Plouffe. Segundo a BBC, já estão programados três debates televisivos entre os dois pré-candidatos à presidência do Partido Democrata. E as campanhas do senador e da senadora já olham para as próximas primárias e prévias, que acontecerão nos dias 9, 12 e 19 de fevereiro e 4 de março. Indecisão Democrata Nesta terça, Hillary Clinton obteve algumas das mais importantes vitórias entre as primárias realizadas simultaneamente em mais de 20 Estados, inclusive aquela que pode ser descrita como "a jóia da coroa", o Estado da Califórnia. Mas a despeito de ter vencido no Estado mais importante, além de outros de destaque, como Nova York e Nova Jersey, a indefinição ainda prevalece no campo democrata. Hillary manteve a liderança sobre Obama, mas a corrida ainda está apertada. A pré-candidata ganhou nos maiores Estados e conta com o apoio de mais delegados que votam na convenção do partido do que Obama, mas ele ganhou em mais Estados - 13. Segundo um correspondente da BBC em Washington, a vantagem continua com Hillary e sua vitória na Califórnia poderá frear um pouco o otimismo que circunda a campanha de Obama, mas a corrida ainda está longe de definida.  O senador Barack Obama obteve vitórias de peso no Estado pelo qual é senador, Illinois, e êxitos por amplas margens sobre a rival, como os que conquistou no Colorado, na Georgia e em Idaho. Ele também obteve bons resultados mesmo nos Estados em que perdeu. Além disso, os dois candidatos ainda travam uma árdua competição por delegados em diferentes Estados.  Ao contrário do que ocorre entre os republicanos na maior parte dos Estados, entre os democratas não há proporcionalidade na conquista de delegados. Ou seja, um candidato pode se sagrar vitorioso em um Estado, mas ainda assim, não contar com a maior parte dos delegados.  O fato de não haver uma clara vantagem sobre quem possui o maior número de delegados poderá fazer com que a disputa entre os democratas se arraste ainda por algum tempo. Possivelmente, até agosto, quando acontece a convenção do partido, em Denver, no Colorado. "Favorito entre republicanos" O senador John McCain disse que "hoje à noite nós aceitamos a idéia de que somos os favoritos para obter a indicação do Partido Republicano à candidato a presidente dos Estados Unidos". E acrescentou: "E eu não me importo nem um pouco com isso".  As projeções indicam que o senador foi o grande vencedor entre os republicanos nos mais de 20 Estados americanos que realizaram primárias simultâneas. Até esta terça-feira, McCain vinha evitando se proclamar o favorito na disputa, a despeito de diversos comentários nesse sentido feitos por analistas políticos e jornalistas americanos.  O senador obteve vitórias em Estados importantes, como a Califórnia, o que reunia o maior número de delegados, um total de 170, Nova York, Illinois e Arizona, por onde é senador. Graças às suas expressivas conquistas nesta terça, o senador se firma como o mais provável candidato entre os republicanos a obter a indicação de seu partido para concorrer à Presidência dos Estados Unidos.  O mais próximo rival de McCain, o ex-governador Mitt Romney colheu vitórias em seis Estados, Utah, que conta com uma maioria de seguidores da religião mórmon, da qual Romney é adepto, Dakota do Norte, Montana, Minnesota, Colorado e Massachusetts, do qual foi governador.  Uma das surpresas na disputa foi o desempenho do ex-governador Mike Huckabee, que obteve vitórias em cinco Estados: Virgínia Ocidental, Alabama, Tennessee, Georgia e no Arkansas, o Estado em que foi governador. O ex-pastor batista Huckabee dispunha de menos recursos do que Romney e atraiu o voto de eleitores evangélicos em muitos Estados. (Com Patrícia Campos Mello, de O Estado de S. Paulo) Matéria atualizada às 7h35.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUASuperterça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.