Obama e McCain aparecem empatados em nova pesquisa

Segundo 'Wall Street Journal', Obama tem 45% dos votos, contra 43% de McCain; margem de erro é de 3 pontos

Efe,

21 de agosto de 2008 | 11h42

O candidato republicano à Casa Branca, John McCain, está empatado com o aspirante democrata, Barack Obama, segundo uma pesquisa de intenção de votos do jornal americano The Wall Street Journal e da rede de televisão NBC divulgada nesta quinta-feira, 21. Obama tem 45% de apoio popular, e McCain, 42%. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, o que deixa os dois candidatos em empate técnico.   Veja também:  Obama e McCain confirmam participação em três debates McCain ultrapassa Obama em pesquisas Obama x McCain Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    O senador democrata tinha uma vantagem de 6 pontos quando o jornal e a NBC realizaram a consulta no mês passado, tendência que se repete em outras pesquisas, entre elas uma divulgada na quarta pelo Los Angeles Times e a agência de notícias Bloomberg. Outra pesquisa, do instituto Zogby, também divulgada na quarta, situa McCain com vantagem de 5 pontos sobre Obama.   O Wall Street Journal destaca que o resultado revela "como as crises internacionais e alguns anúncios negativos bem colocados aumentaram as possibilidades do candidato presidencial republicano". A consulta também mostra que um dos grandes desafios para Obama às vésperas da convenção nacional do Partido Democrata, que será realizada na próxima semana em Denver (Colorado), é conseguir que os partidários da senadora Hillary Clinton se unam a sua causa.   A enquete também ilustra alguns dos riscos enfrentados por McCain, ao dizer que seus seguidores são muito menos entusiastas do que os de Obama e revelar que existe uma preocupação generalizada com sua idade: o senador pelo Arizona completa 72 anos no final do mês.   Steve Schmidt, um dos principais assessores de McCain, disse ao Wall Street Journal que a pesquisa mostra o quanto estavam equivocadas as previsões que garantiam uma derrota certa do republicano. Schmidt é um mestre do ataque político, como ficou claro em 2004, quando orquestrou uma implacável campanha contra o então candidato democrata à Casa Branca, John Kerry, a quem apresentou como uma pessoa que muda constantemente de opinião. Sua fórmula consiste em elaborar uma mensagem política clara e repeti-la reiteradamente, com precisão quase militar. Desta vez, a mensagem de Schmidt é que Obama representa uma aposta arriscada enquanto McCain está acima das divisões partidárias e põe os interesses do país acima dos seus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.