Obama e McCain buscam votos no Oeste dos Estados Unidos

Obama diz que McCain é o 'Robin' de Bush; McCain diz que Obama vai aumentar impostos

AP,

26 de outubro de 2008 | 10h20

Barack Obama, tentando ampliar sua vantagem na corrida presidencial dos Estados Unidos, zombou de John McCain por tentar afastar-se do atual presidente, George W. Bush, no momento em que ambos os candidatos disputam os votos nos Estados do Oeste, que poderão decidir a eleição.   Veja também: The New York Times anuncia apoio a Barack Obama Palin depõe em inquérito sobre abuso de poder nesta sexta Enquete: Você votaria em McCain ou Obama?  Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   No sábado, os dois visaram o mesmo trio de Estados - Nevada, Colorado e novo México. A seqüência de aparições de Obama e McCain provavelmente representou a última vez, nesta campanha, em que os territórios do Oeste terão tanta atenção. Áreas valorizadas no Leste, como Ohio, Pensilvânia e Flórida, em breve assumirão a dianteira no caminho para o pleito de 4 de novembro.   Obama voltou à estratégia de associar McCain e Bush, um presidente impopular, mas do mesmo partido que seu concorrente. McCain vem culpando a administração Bush pelos problemas econômicos no país. "John McCain atacar George Bush por sua política econômica mal feita é como (o vice-presidente) Dick Chaney atacar George Bush por sua política externa unilateral", disse Obama. Mais tarde, ele disse que McCain criticar Bush é como "Robin ficar bravo com o Batman".   Obama disse que é tarde para McCain se apresentar como independente em relação a Bush, depois de apoiá-lo por tantos anos. McCain tem um histórico de tanto apoiar quanto de opor-se às políticas de Bush. McCain, por sua vez, continuou a descrever Obama como um político disposto a aumentar impostos e gastos públicos. "Ele acredita em redistribuição de renda", disse McCain. "Isso não é os Estados Unidos".

Tudo o que sabemos sobre:
obamamccain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.