Obama e McCain homenageiam juntos as vítimas do 11/09

Disputa é destaque das cerimônias; candidatos vão a NY e suspendem campanha no 7.º aniversário dos ataques

Associated Press e Reuters,

11 de setembro de 2008 | 07h55

A corrida presidencial pela Casa Branca será interrompida nesta quinta-feira, 11, durante o sétimo aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001, quando o democrata Barack Obama e o republicano John McCain homenagearão juntos os cerca de 3 mil mortos dos ataques, ainda que possuam suas diferenças sobre o que defendem para a política internacional e de segurança para o país.   Veja também: NY faz um minuto de silêncio por 11/09 Al-Qaeda se transforma em 'franquia' ideológica EUA ainda não superaram medo do 11/9 Al-Qaeda perde foco e apoio no mundo islâmico Veja a linha do tempo dos ataques Obama x McCain Cobertura completa das eleições nos EUA    McCain e Obama planejam aparecer juntos duas vezes nesta quinta-feira e concordaram em suspender a propaganda de campanha para marcar o dia em que três aviões se chocaram contra os prédios do WTC e Pentágono. Uma quarta aeronave caiu em um campo da Pensilvânia. A trégua nos ataques de campanha agressiva para as eleições de 4 de novembro.   As campanhas dos dois candidatos têm se atacado constantemente na disputa sobre quem é o melhor para liderar o país em questões de segurança nacional. McCain argumenta utilizando sua experiência de duas décadas no Senado e o fato de ser veterano da Guerra do Vietnã. Obama liga o seu rival republicano às impopulares políticas do presidente George W. Bush para a Guerra do Iraque.     McCain e Obama visitarão o marco zero juntos em Nova York, e em seguida participaram de um fórum na Universidade de Columbia para discutir suas visões sobre serviço público. Um comunicado conjunto das campanhas afirma que eles querem visitar o local os atentados para agradecer "aos bombeiros, policiais e equipes de emergência que deram um exemplo histórico, e àqueles homens e mulheres que hoje defendem a liberdade e segurança em Nova York, Pentágono e Shanksville, na Pensilvânia"   "Na quinta-feira, deixaremos nossos lados políticos de lado e renovaremos nossa união, em memória de cada americano morto e pelo sofrimento dos familiares e amigos que perderam seus entes queridos". "Todos nós estaremos juntos em 11/9 - não como democratas ou republicanos, mas sim como americanos. Estamos unidos como uma família americana", afirmam os dois candidatos na nota.   Raramente os candidatos apareceram juntos durante a campanha à Casa Branca. Os dois se encontraram rapidamente em uma igreja na Califórnia em agosto, mas foi tão breve que não deu tempo dos fotógrafos chegarem.

Tudo o que sabemos sobre:
11/09Barack ObamaJohn McCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.