Obama homenageia Luther King um dia antes da posse

Eleito participa de serviços comunitários e 3 jantares; piloto que salvou 155 no Hudson é convidado para posse

Agências internacionais,

19 de janeiro de 2009 | 09h42

 Depois de reunir mais de 200 mil pessoas no grande show com o monumento a Abraham Lincoln como cenário, o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, chega ao fim de sua etapa pré-presidencial com outra grande figura da história americana, o reverendo Martin Luther King Jr. Obama participará de um projeto de renovação da comunidade na área de Washington no feriado em homenagem ao ativista pelos direitos civis assassinado em 1968. O vice-presidente, Joe Biden, também participará dos trabalhos voluntários nesta segunda, assim como Michelle Obama e Jill Biden.   Veja também: Dez lições de Bush para Obama  Veja o programa da posse de Barack Obama Galeria de fotos do show  Cronologia de Barack Obama  Imagens da família Obama    A equipe de transição de Obama se recusou a indicar os locais ou detalhes dos lugares em que eles trabalharão nesta segunda. A posse de terça-feira, assim como sua eleição, tem sido vista com enorme entusiasmo público, tem eventos cuidadosamente coreografados e sempre ressaltando o espírito de união. As celebrações começaram no sábado, quando Obama refez o trajeto de trem cumprido por Abraham Lincoln em 1861, segundo da Filadélfia até Washington. No domingo, a população enfrentou o frio de -3ºC para acompanhar o megashow, com celebridades da música, no Lincoln Memorial.   Lincoln, que assim como Obama fez carreira em Illinois, abriu as portas para o final da desigualdade racial para os afro-americanos. O presidente eleito colocou-se diante da multidão em testemunho do lento e imperfeito processo norte-americano na direção da igualdade racial. Agora, Obama pede aos norte-americano que honrem o legado de Martin Luther King ao assumirem um compromisso com a prestação de serviços. Há muito tempo este tem sido o objetivo do feriado, embora muitos ainda o vejam como um dia de folga.   O Comitê Presidencial de Posse lançou um site para ajudar as pessoas a encontrar oportunidades de voluntariado próximas de suas casas. Além do trabalho voluntário, Obama também terá um feriado ocupado. Ele participa de três jantares em homenagem aos serviços públicos prestados pelo ex-secretário de Estado Colin Powell, ao seu vice-presidente, Joe Biden, e ao ex-rival na disputa presidencial, o senador republicano Johh McCain.   "Eu estou pedindo a você que tenha um compromisso duradouro para melhorar as vidas de seus companheiros norte-americanos, um compromisso que deve se prolongar para além deste dia, ou mesmo além de uma presidência", disse Obama num apelo divulgado no site YouTube na semana passada. "Neste momento de grande desafio e de grandes mudanças, eu estou pedindo a você que faça a sua parte, arregace suas mangas e junte-se ao trabalho de refazer esta nação".   O presidente também terá uma agitada noite nesta segunda-feira. Ele deve participar de três jantares particulares em homenagem a servidores públicos. Um deles será o ex-secretário de Estado Colin Powell, o outro o vice-presidente eleito Joe Biden, que há tempos ocupa uma cadeira no Senado por Delaware, e o terceiro o senador John McCain, o candidato republicano à presidência nas eleições de 2008. Esses jantares acontecerão no Hilton Washington, no National Building Museum na Union Station. Michelle Obama, a futura primeira-dama, irá a um concerto de crianças.   O novo presidente irá iniciar a quarta-feira na Catedral Nacional de Washington, para o Serviço Nacional de Orações, cerimônia realizada desde os tempos de George Washington. O escritório de Obama informou na sexta-feira que ele e sua esposa, Michelle, vão receber "centenas de convidados especiais" no "primeiro dia, quando abriremos as portas da Casa Branca para vocês". Mas, talvez o mais importante seja o plano de Obama de cumprir sua promessa de reunir os líderes militares para examinar o início da retirada das forças norte-americanas do Iraque, seis anos depois de o atual presidente, George W. Bush, ter declarado "missão cumprida" logo após a invasão inicial da nação do Oriente Médio.   Seu primeiro dia no cargo deve ser cheio, também com assuntos sobre o Oriente Médio e a sangrenta ofensiva israelense na Faixa de Gaza. Os dois lados do confronto decretaram um cessar-fogo a partir de domingo, após três semanas de intensas lutas, iniciadas em 27 de dezembro, quando as forças israelenses invadiram o território palestino com o objetivo de pôr fim aos lançamentos de foguetes do grupo Hamas em direção ao sul de Israel.   De última hora, um novo herói nacional foi convidado para a posse desta terça. O piloto do avião da companhia US Airways Chesley B. "Sully" Sullenberger, que salvou 155 pessoas ao fazer um pouso forçado no rio Hudson na semana passada, participará da cerimônia com sua família. Os tripulantes do voo também foram convidados.   Obama dança Stevie Wonder   O conteúdo do iPod de Barack Obama em breve deve virar segredo de Estado, mas os músicos Stevie Wonder, Garth Brooks e Peter Seeger podem se orgulhar por terem feito o presidente eleito dos EUA se mexer num show no domingo. Obama, sua esposa, Michelle, e as duas filhas do casal, Sasha e Malia, sentaram-se ao lado do vice-presidente-eleito, Joe Biden, e da mulher dele, Jill, enquanto Bruce Springsteen cantava "The Rising" e Mary Blige fazia uma apresentação arrasadora de "Lean on Me".   O show, sob frio intenso, nas escadarias do Memorial Lincoln, no Mall (avenida monumental de Washington), foi o início das celebrações para a posse de Obama, que na terça-feira se torna o primeiro negro a governar os EUA. No começo do espetáculo, Sasha, 7 anos, estava irrequieta, enquanto Malia, 10, aparentemente entediada, repousava a cabeça no ombro da mãe. Obama ocasionalmente conversava com Biden - ambas as famílias estavam sentadas atrás de um vidro blindado ao lado do palco. Mas houve sinais de vida quando Garth Brooks assumiu o palco, primeiro cantando "American Pie", e depois "Shout" - quando a futura primeira-dama e Sasha jogaram as mãos para cima.   E aí vieram Stevie Wonder, Usher e Shakira - o grupo mais notavelmente diverso de artistas num show marcado pela diversidade. Wonder e Usher são afro-americanos; Shakira é colombiana descendente de libaneses. Com "Higher Ground", de Wonder, o casal Obama se pôs de pé e dançou um pouco. Eles ainda acompanhariam a letra de "This Land is Your Land", com Bruce Sprinsteen, Pete Seeger e um neto dele. Aliás, toda a multidão, que se estendia do Memorial até o monumento a Washington, cantou junto, assim como quando Beyoncé atacou de "America the Beautiful".   Jon Bon Jovi, Sheryl Crow, Josh Groban, John Mellencamp e a banda irlandesa U2 também se apresentaram. Steve Carell, Queen Latifah, Denzel Washington e Tiger Woods participaram como oradores. Esse memorial é um marco para os afro-americanos. Foi ali que Marian Anderson cantou, em 1939, depois de ser barrada no Constitution Hall por causa da cor da sua pele, e lá que o reverendo Martin Luther King fez o seu mais famoso discurso, "Eu Tenho um Sonho", em 1963.   Em discurso na escadaria do memorial em homenagem a Abraham Lincoln, que tomou posse às vésperas de uma Guerra Civil, Obama manifestou otimismo, a despeito do fato de que tomará posse, na terça-feira, tendo de administrar duas guerras e a pior crise econômica desde a década de 1930. "Não há dúvida de que nossa estrada será longa. Que nossa subida será íngreme", acrescentou. "Mas nunca se esqueçam que o verdadeiro caráter da nossa nação se revela não durante os tempos de conforto e facilidade, mas pelo bem que fazemos quando o momento é difícil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.