Obama ironiza McCain por comparará-lo com Britney e Paris

Democrata afirma que rival não tem nada de positivo para dizer sobre si mesmo; 'Parece que ele só fala de mim'

Reuters,

31 de julho de 2008 | 09h10

O candidato democrata Barack Obama acusou na quarta-feira, 30, o rival republicano John McCain de tentar assustar os eleitores com ataques sobre o seu caráter, enquanto McCain lançou um comercial afirmando que Obama é mais uma celebridade do que um líder.   Veja também: Assista ao vídeo  Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    A campanha de McCain estreou um anúncio de TV comparando o democrata à cantora Britney Spears e à socialite Paris Hilton. O anúncio começa com imagens de Britney e Paris (conhecidas pelos escândalos em que se envolvem) e depois mostra o comício que Obama fez para 200 mil pessoas em Berlim. "Ele é a maior celebridade do mundo - mas será que ele está pronto para liderar?" diz o locutor.   "Não presto atenção aos anúncio de McCain, ainda que tenha notado que ele parece não ter nada de muito positivo para dizer sobre si mesmo", disse Obama aos jornalistas depois de visitar um restaurante no Missouri. "Parece que ele só fala de mim", agregou. "Precisam perguntar que coisas ele apóia, não só ao que ele se opõe", concluiu.   "O que eles querem fazer é que vocês se assustem - comigo", disse Obama para eleitores em Springfield, reduto republicano, enquanto defendia que era necessário ajudar economicamente a classe média do Estado, ainda indefinido e que pode ajudar a definir a disputa de novembro.   Obama, que realizou um giro de quatro dias por Estados considerados chave na disputa para promover suas políticas econômicas, ironizou os argumentos republicanos apresentados pela campanha de McCain. "Ele não é suficientemente patriota. Não tem um grande nome. Ele não é como os presidentes das notas de dólar". "Esse é o argumento de McCain: 'não temos muito a oferecer, mas os dele são perigosos'", disse Obama. "Agora estamos num momento em que é arriscado não mudar. É perigoso seguir fazendo o que estamos fazendo", ironizou.   Segundo a campanha de McCain, o anúncio é uma tentativa de se contrapor à comoção gerada pela candidatura de Obama e à pouca cobertura da mídia ao republicano. "O povo americano quer eleger a maior celebridade do mundo ou um candidato que é um herói, um líder, e tem as idéias certas para lidar com os sérios problemas que enfrentamos?", disse Steve Schmidt, estrategista da campanha de McCain.   A campanha de Obama respondeu usando a letra de uma das músicas de Britney. "No dia em que vários órgãos de imprensa estão criticando os falsos ataques de McCain contra Obama, ele resolveu atacar mais uma vez. Ou alguns diriam: "Ooops, he did it again!?".   Com Patrícia Campos Melo, de O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.