Obama lança plano contra efeitos da crise na classe média

Em um comício no domingo na Virginia, Bill e Hillary Clinton reforçaram seu apoio ao candidato democrata

da Redação, com agências internacionais,

13 de outubro de 2008 | 11h00

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, apresenta nesta segunda-feira, 13, seu plano contra os efeitos da crise financeira para a classe média americana. O discurso será em Toledo, em Ohio, às 14h30 (horário de Brasília). Assessores de campanha não deram mais informações sobre o que será apresentado.  Pesquisas recentes apontam uma crescente vantagem de Obama sobre seu rival, John McCain. A diferença nas intenções de voto chegam a ultrapassar os dez pontos percentuais, como na pesquisa da revista Newsweek, que aponta 53% para Obama conta 42% para McCain. A melhora no desempenho de Obama se deve, em partes, pelo fato de as pessoas acreditarem que ele sabe lidar melhor com economia do que McCain. Obama chegou a criticar seu adversário dizendo que ele seria errático, pulando de uma idéia para outra. Em um comunicado anunciando o plano econômico, a campanha de Obama diz: "Nossa economia está enfrentando a maior incerteza dos últimos 70 anos. Perdemos 760.000 empregos neste ano e a taxa de desemprego pode atingir 8%. Famílias que viram sua renda cair durante os últimos sete anos agora temem perdas ainda mais profundas."Apoio dos Clinton O ex-presidente americano Bill Clinton e sua esposa Hillary, candidata derrotada nas prévias do partido democrata, participaram de um comício na Virgínia no domingo ao lado do candidato a vice na chapa de Obama, Joe Biden. A participação do casal na campanha  visa fortalecer Obama entre eleitores brancos de classe média, um tradicional reduto tanto de Bill quanto de Hillary. "Obama vai nos tirar dessa bagunça", disse Bill Clinton. "Chamar um republicano para consertar esta crise é como soltar um elefante na sala de estar", comparou o ex-presidente. McCain na TV O candidato republicano John McCain acertou sua participação no talk show de David Letterman, um dos programas de maior audiência da TV americana, depois de cancelar sua participação três semanas atrás, quando cancelou a campanha temporariamente devido às discussões do plano de resgate no Congresso americano.  Pesquisa A pesquisa Reuters/C-SPAN/Zogby divulgada nesta segunda-feira dá 4 pontos de vantagem a Obama. O democrata tem 48% da preferência dos prováveis eleitores, contra 44% de McCain, queda de 2 pontos percentuais na comparação com o levantamento divulgado no domingo. A margem de erro da pesquisa, que ouviu 1.207 prováveis eleitores, é de 2,8 pontos percentuais.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições nos EUAcrise financeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.