Obama pede desculpas a muçulmanas discriminadas em comício

Mulheres são impedidas de sentarem-se atrás do democrata por uso de véu islâmico em evento em Detroit

Reuters,

20 de junho de 2008 | 08h57

O candidato presidencial democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu desculpas na quinta-feira, 19, a duas mulheres muçulmanas que foram impedidas de sentarem próximas de um pódio onde ele discursava porque usavam lenços islâmicos na cabeça. Em um evento de campanha em Detroit na segunda-feira, Shimaa Abdelfadeel e Hebba Aref foram impedidas pelos voluntários de sentarem-se atrás de Obama, local que seria filmado pelas câmeras da TV. Aparentemente, a ordem veio por causa dos lenços.   Veja também:  Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    "Eu entrei em contato com a senhora Aref e a senhora Abdelfadeel nesta tarde", disse Obama em um comunicado. "Falei com a senhora Abdelfadeel e pedi minhas mais profundas desculpas pelo incidente que ocorreu com voluntários em Detroit". Obama disse que a atitude dos voluntários foi "inaceitável e de nenhuma forma reflete a política da minha campanha".   "Tomo isso como uma ofensa e vou continuar lutando contra a discriminação de pessoas de qualquer grupo religioso ou contexto", disse. Obama afirmou que Abdelfadeel aceitou as desculpas e espera que Aref faça o mesmo.   Obama, que é cristão, enfrenta falsos rumores de que seja muçulmano. O pedido direto de desculpas vem depois de um outro, feito pela equipe da campanha às duas mulheres.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.