Obama pede esforço redobrado a uma semana para eleições

Democrata afirma que seus partidários não podem pensar que o resultado já está decidido em seu favor

Efe,

28 de outubro de 2008 | 03h27

 O candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta segunda-feira, 27, que seus partidários redobrem seus esforços para assegurar o triunfo nas eleições da terça-feira da próxima semana. Veja também:EUA anunciam desarticulação de plano para matar ObamaObama lidera em 5 Estados-chave; McCain, em 2Enquete: Você votaria em McCain ou Obama? Confira os números das pesquisas nos Estados Obama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA "Estamos a uma semana da mudança nos Estados Unidos. Não podemos deixar a intensidade cair nem por um dia, nem por um minuto, nem por um segundo nesta última semana", disse Obama em discurso em Canton (Ohio). "Temos muito a fazer, como se nosso futuro dependesse desta semana, porque ele realmente depende desta semana", acrescentou. A maioria das pesquisas indica Obama como vencedor das eleições, o que lhe transformaria no primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos. No entanto, outras enquetes indicam que seu rival, o republicano John McCain, poderia recuperar terreno nos últimos dias e brigar voto a voto pela Presidência. Obama afirmou em Ohio que seus partidários não podem pensar que o resultado das eleições já está decidido em seu favor. "Não pensem nem por um minuto que o poder se rende", assinalou o democrata, ao se referir ao fato de que os republicanos ocupam a Casa Branca há oito anos, com o presidente George W. Bush. Em seu discurso, o senador pelo estado de Illinois insistiu em que agora corresponde aos eleitores "dar a este país a mudança" que ele precisa. Críticas a McCain Ao mesmo tempo, não poupou críticas a McCain, que, segundo ele, levaria o país a "abraçar as mesmas políticas de Bush que fracassaram durante os últimos oito anos". Mas o candidato republicano, atual senador pelo estado do Arizona, insistiu em discurso em Dayton (Ohio) que se chegar à Casa Branca suas políticas serão diferentes das de Bush, e reiterou suas denúncias de que Obama pretende aumentar os impostos e o gasto fiscal. "Essa é a diferença fundamental entre o senador Obama e eu. Nós dois discordamos da política econômica do presidente Bush. A diferença é que ele acredita que os impostos foram baixos demais e eu penso que a despesa foi alta demais", indicou. Ohio figura entre os oito estados-chave nesta disputa, e a vantagem nas pesquisas até o momento está com Obama.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições EUABarack ObamaJohn McCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.