Obama pede que EUA superem divisões e promovam mudança

Senador vence o caucus de Iowa do Partido Democrata com 38% dos votos; Edwards fica em segundo com 30%

Efe,

04 de janeiro de 2008 | 03h35

Barack Obama, ganhador do "caucus" democratas de Iowa, disse que chegou o momento de os Estados Unidos "superarem as divisões" para construir "a coalizão da mudança". Veja também:Obama e Huckabee saem na frente na sucessão de BushPatrícia: o príncipe e a desolação branca Cobertura completa das eleições nos EUA Entenda como funcionam as prévias de Iowa Conheça os pré-candidatos  Acompanhado por sua mulher e suas duas filhas, Obama, radiante, pronunciou um discurso mostrando esperança no futuro do país e afirmou que, em novembro, será eleito presidente. Barack Obama obteve 38% dos votos democratas; Edwards, 30% e Hillary, 29%. Já no Partido Republicano, a vantagem foi maior. Huckabee conseguiu 34% contra Mitt Romney. Fred Thompson e John McCain empataram em terceiro lugar, com 13% dos votos. Obama afirmou ainda que será o presidente que garantirá assistência médica para todos nos EUA, cortará impostos para a classe média e conseguirá livrar o país da tirania do petróleo. Em seguida, agradeceu a todos que trabalharam pela sua vitória, não por ele, mas porque "têm fé profunda nos ideais da América". "Vocês são as pessoas que podem tornar possível a mudança. Poderão dizer que este é o momento no qual começou tudo. O momento no qual derrubamos as barreiras que muitos diziam que nunca poderiam ser superadas", afirmou. Obama se referiu também à necessidade de redefinir a esperança. "A esperança não é o otimismo cego. Apesar de todas as evidências em sentido contrário, tivemos a coragem de continuar lutando por nosso objetivo", disse. "A esperança é o que me trouxe até aqui, com um pai do Quênia e uma mãe do Kansas. Uma história que só poderia ter ocorrido neste país", disse um exultante Obama. Ele terminou afirmando que os EUA não se dividem em um país republicano e outro democrata. "Somos os Estados Unidos da América. Estamos preparados para acreditar outra vez", conclamou.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.