Obama recebe apoio da maior central sindical americana

AFL-CIO une 15 milhões de trabalhadores à candidatura democrata; sindicatos têm US$ 200 mi para campanha

Agência Estado e Associated Press,

26 de junho de 2008 | 15h39

A central sindical Federação Americana do Trabalho - Congresso das Organizações Industriais (AFL-CIO), a maior da América do Norte, anunciou nesta quinta-feira seu apoio à candidatura do democrata Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos. O apoio da AFL-CIO une os 15 milhões de trabalhadores filiados a sindicatos da central à candidatura Obama, dando ao senador por Illinois amplo acesso à máquina política e aos fartos recursos que a AFL-CIO tem para gastar na campanha presidencial. Veja também:Obama lidera pesquisas em quatro Estados decisivosObama x McCain Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Como esperado, os líderes da maior central sindical americana deram apoio unânime à candidatura Obama, liberando a organização e seus 56 sindicatos filiados para gastar parte da sua verba eleitoral de US$ 200 milhões na campanha do candidato democrata. "Nós estamos orgulhosos de estar ao lado do senador Obama e ajudar nossa nação a tomar um rumo que melhorará por gerações o padrão de vida para a classe trabalhadora e nossas crianças," disse John Sweeney, presidente da AFL-CIO. O apoio DA AFL-CIO era esperado após a rival de Obama no Partido Democrata, a senadora Hillary Rodham Clinton, ter desistido da disputa para a nomeação e anunciado apoio a Obama.  Recentemente, Obama visitou os caciques da AFL-CIO em Washington. Durante as primárias, a AFL-CIO ficou neutra na disputa democrata e liberou os sindicatos a apoiarem o pré-candidato que julgassem melhor. Cerca de doze sindicatos apoiaram a senadora Hillary.  Gerald McEntee, presidente da Federação Americana dos Trabalhadores em Governos Estaduais, Municipais e em Condados, foi um dos mais entusiastas partidários de Hillary. Ele também faz parte do comitê da AFL-CIO. "Nós trabalharemos de peito aberto por Barack Obama," disse McEntee.  "Nossa campanha irá de trabalhador a trabalhador, de vizinho a vizinho. Estamos prontos para a mobilização. Estamos prontos para tudo. Este país e nosso povo estão prontos para a mudança," continuou o sindicalista. A AFL-CIO já fazia campanha contra o candidato republicano John McCain, mas agora começará a promover também a candidatura Obama entre seus milhões de afiliados, familiares e amigos. A maior central rival da AFL-CIO, a Mudança pela Vitória, já havia anunciado apoio a Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.