Obama se aproxima do número de superdelegados de Hillary

Senador ganha o endosso de mais três representantes nesta sexta; rival tem apenas cinco delegados a mais

Agências internacionais,

09 de maio de 2008 | 11h57

O senador Barack Obama se aproximou ainda mais do número de superdelegados conquistados pela rival Hillary Clinton nesta sexta-feira, 9. A campanha do pré-candidato anunciou que ele conseguiu o endosso de um presidente de sindicato, e dois congressistas, sendo que um deles retirou o apoio à candidatura da primeira-dama. Veja também:Obama admite convidar Hillary Clinton para vice Últimas prévias colocam em dúvida candidatura de HillaryOs colhões de Hillary Clinton, a lutadora Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos  Agora, Obama possui 266 superdelegados contra os 271 que apóiam Hillary. Segundo Dan Pfeiffer, porta-voz da campanha do pré-candidato, o deputado negro Donald Payne deixou de endossar Hillary e alinhou-se com o senador democrata. Outro congressista, Peter DeFazio, deve anunciar formalmente o endosso durante o evento nesta sexta-feira. Além dos dois representantes do Congresso, o presidente da Federação Americana de Funcionários Públicos, John Gage, deixou a posição de superdelegado neutro e passou a apoiar Obama. "Nosso povo, acredito, reconhece o entusiasmo e a vitalidade da campanha de Obama", disse. Hillary venceu as primárias no Estado de Nova Jersey na superterça, e conseguiu o apoio da delegação da região. Donald Payne, um dos superdelegados de da ex-primeira-dama afirmou, porém, que "depois de considerar cuidadosamente, ele chegou a conclusão de que Barack Obama pode ser a melhor opção para promover as mudanças necessárias no país". As primárias de Oregon, Estado representado por Peter DeFazio, realizará as primárias do dia 20 de maio. Obama deve conseguir vantagem significante sobre Hillary Clinton. Além de DeFazio, outros dois congressistas do Estado já endossaram o senador: Earl Blumenauer e David Wu earlier, enquanto Ted Kulongoski e Darlene Hooley apoiaram Hillary.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUABarack Obama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.