Obama tem 2 pontos de vantagem sobre McCain, diz pesquisa

Reuters/Zogby afirma que candidatos presidenciais estão tecnicamente empatados na nova sondagem

Reuters,

17 de setembro de 2008 | 11h02

O democrata Barack Obama está 2 pontos percentuais à frente do republicano John McCain na disputa pela Casa Branca, segundo pesquisa Reuters/Zogby divulgada na quarta-feira, 17. Obama tem 47% da preferência dos eleitores, contra 45% de McCain. A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais, o que significa que há empate técnico. A pesquisa ouviu por 1.008 prováveis eleitores por telefone entre quinta-feira e sábado.   Veja também: Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    No último mês, Obama cresceu entre independentes e mulheres, e também viu melhorar a avaliação que os eleitores fazem de sua capacidade de lidar com a fragilizada economia do país. Em agosto, antes das convenções partidárias, McCain liderava por 5 pontos percentuais na pesquisa Reuters/Zogby. A maioria dos levantamentos indicava que ele teve um impulso depois de nomear a governadora do Alasca, Sarah Palin, como sua candidata a vice. Os novos dados mostram, porém, que ele pode estar voltando ao seu patamar real.   "Estamos de volta aonde sempre achamos que estaríamos - numa disputa muito competitiva", disse o especialista em pesquisas John Zogby. Ele acha que, se por um lado a escolha de Palin impulsionou McCain, por outro lado solidificou o apoio democrata a Obama. "Nas últimas semanas só deu Palin, e ela foi uma força de divisão. Ela reforçou a base de ambos os candidatos", disse.   Em agosto, 74% dos eleitores democratas prometiam voto em Obama. Em setembro, esse apoio saltou para 89%. Entre os republicanos, a intenção de voto em McCain passou de 81 para 89%. Quase um terço dos prováveis eleitores disse que a escolha de Palin os torna mais propensos a escolherem McCain, enquanto quase um quarto respondem que a indicação os torna menos propensos a votar na chapa republicana. Para cerca de 43%, a presença de Palin não afeta o voto.   Bem menos influente foi a escolha do senador Joe Biden como vice de Obama. Só 23% se disseram mais inclinados a votar no democrata por causa disso, enquanto 16% afirmaram o contrário. Metade dos eleitores disse que a economia é a principal questão desta campanha, e nesse quesito McCain é visto como mais bem preparado - 47%, contra 45% para Obama.   Esse resultado, no entanto, é satisfatório para o democrata, pois no mês passado McCain tinha 9 pontos percentuais de vantagem nesse quesito. A pesquisa foi feita antes do agravamento da crise financeira, no domingo, quando foi anunciada a falência do banco Lehman Brothers e a venda do Merrill Lynch.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.