Obama tem vantagem de 5 pontos sobre McCain, diz pesquisa

Democrata obtém 49%, contra 44% do republicano; crise financeira dos EUA mudou cenário, avalia Gallup

Agência Estado,

19 de setembro de 2008 | 19h29

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, abriu cinco pontos porcentuais de vantagem na intenção de voto do eleitorado americano sobre seu rival republicano, John McCain, indica a pesquisa diária do instituto Gallup divulgada nesta sexta-feira, 19. O democrata tem hoje 49% dos votos, enquanto McCain aparece 44%, indica a sondagem. Segundo o instituto, a crise financeira dos EUA mudou o cenário eleitoral, que era outro até a semana passada.   Veja também: Não vote porque 'ela é fofa', diz Michelle Obama Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    "Esse foi o quarto dia consecutivo em que o democrata esteve na frente na intenção de voto, desde o início da crise financeira em Wall Street, iniciada após o anúncio, no domingo passado, de que o banco Lehman Brothers havia quebrado. O principal efeito foi devolver a liderança a Obama, após McCain ter liderado a corrida depois da convenção nacional do Partido Republicano", avalia o Gallup.   O resultado de Obama indica que o democrata está perto do máximo que obteve na preferência do eleitorado, de 50% das intenções de voto, logo após a convenção nacional do Partido Democrata. O Gallup lembra, no entanto, que a maior margem do democrata sobre o republicano foi obtida no final de julho, quando ele liderava com vantagem de nove pontos porcentuais.   Já os números de McCain significam que ele está na média da preferência que manteve do eleitorado, entre o máximo de 49% de intenção de voto logo depois da convenção republicana - em 6 de setembro - e sua mínima de 40% obtida no final de julho.   Segundo o Gallup, a forte intervenção do governo americano no mercado financeiro, nesta sexta-feira, com o plano para criar um fundo que concentre dívidas podres dos bancos, poderá ter impacto nas pesquisas dos próximos dias.   A pesquisa entrevistou 2.796 eleitores registrados entre os dias 16 e 18 de setembro. Do total de entrevistados, 4% disseram estar indecisos e 3% disseram que não votarão em nenhum dos candidatos. A margem de erro da sondagem é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.