Reprodução/ Flickr
Reprodução/ Flickr

Obama terá BlackBerry à prova de espiões para uso pessoal

Empresa desenvolve smartphone criptografado; abertas ao público, mensagens sobre governo estão proibidas

Agências internacionais,

22 de janeiro de 2009 | 11h27

Viciado confesso de seu celular Blackberry, o presidente americano, Barack Obama, pode não ter que se livrar do hábito apesar das preocupações tecnológicas da Casa Branca. Segundo a revista Atlantic magazine, a Agência Nacional de Segurança aprovou um smartphone - inevitavelmente chamado de BarackBerry - à prova de espiões, para receber mensagem criptografadas.

 

Veja também:

linkSurge a Casa Branca 2.0

linkObama pode assinar fim de Guantánamo nesta quinta

linkFidel Castro quebra silêncio e elogia Barack Obama

linkDiscurso de Obama censurado é 'direito editorial', diz China

linkErro em texto faz Obama prestar juramento de novo

linkCobertura especial da posse no blog

linkÍntegra do discurso de posse de Obama

linkO que você achou das roupas de Michelle? forum

linkTV Estadão: Celso Lafer fala sobre a posse 

linkVeja galeria de fotos da festa mais imagens

linkA vida de Barack Obama em imagens mais imagens

linkImagens da família Obama mais imagens  

 

Segundo o blog do jornalista Marc Ambinder, o aparelho Sectera Edge, da General Dynamics, é capaz de criptografar conversas secretas e documentos confidenciais. Ele custa cerca de US$ 3.350 e poderá ser usado para questões pessoais. Isso porque uma lei americana, o Ato de Registros Presidenciais, estabelece que toda a correspondência do presidente é aberta e pode ser lida pelas pessoas em geral. Segundo a BBC, mensagens sigilosas, que podem ser pessoais ou mesmo de importância para a segurança nacional, poderiam ser divulgadas.

 

Segundo especialistas, há outros motivos para que Obama abandone os e-mails: seu correio eletrônico poderia ser vítima de um ataque de hackers e seu BlackBerry (celular com acesso à internet e a e-mails) poderia ser rastreado por pessoas perigosas.

 

Tanto o ex-presidente Bill Clinton como o atual, George W. Bush, abandonaram o uso de e-mails na Casa Branca. Mas a transição promete ser difícil para Obama, que é o primeiro usuário frequente do BlackBerry a chegar à Presidência dos Estados Unidos. Durante a campanha, Obama foi visto levando o seu BlackBerry a todos os lugares. Em uma ocasião, o democrata foi flagrado pela imprensa usando o aparelho para acessar e-mails durante um jogo de futebol de uma de suas filhas. A mulher de Obama, Michelle, logo percebeu e deu um tapa nas mãos do candidato para que parasse.

 

Esquema de segurança

 

Segundo o jornal Washington Post, Obama costumava fazer caminhadas, interrompendo o trabalho por 15 minutos todas as tardes. Mas em seu primeiro dia como 44º presidente dos EUA, terça-feira, ao percorrer três quarteirões até uma igreja, foram necessários 20 agentes do serviço secreto, uma caravana de 14 veículos, máscaras de gás (por precaução) e uma limusine Cadillac com blindagem especial.

 

Desde maio de 2007, quando Obama se tornou o candidato à presidência a receber mais precocemente a proteção do serviço secreto, ele se indispôs com o confinamento imposto pela segurança. Queixou-se quando seus assessores pediram que ele parasse de correr perto do Lago Michigan, de dirigir e passear sozinho pela sua livraria favorita em Chicago.

 

Construído pela General Motors especialmente para Obama, o carro oficial é supostamente equipado com portas blindadas de 20 centímetros de espessura e armas automáticas calibre 12. Ele conta com câmeras de visão noturna, pneus reforçados com Kevlar e canhões de gás lacrimogêneo. Foi isolado contra ataques químicos e é equipado com um suprimento de oxigênio.

 

(Com O Estado de S. Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
Barack Obamaeleições nos EUAEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.