Obama vence 3 primárias e agrava crise na campanha de Hillary

Senadora perde o número dois de seu comitê eleitoral; do lado republicano, McCain vence fácil

Associated Press e Reuters,

13 de fevereiro de 2008 | 01h37

O senador Barack Obama venceu na terça-feira, 12, de maneira arrasadora as primárias nos Estados de Virgínia, Maryland e em Washington D.C. e aprofundou a crise no comitê da senadora Hillary Clinton. A ex-primeira-dama perdeu Mike Henry, o número 2 de sua campanha, que pediu demissão. Do lado republicano, o senador John McCain, favorito à nomeação do partido, também derrotou Mike Huckabee nas três prévias e ficou ainda mais próximo da vitória.  Veja também:Subdiretor da campanha de Hillary se demiteCarisma de senador provoca "Obamamania"Guterman: Hillary acabou? Pense de novo Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  Na Virgínia, o senador ficou com 64% dos votos, bem à frente de Hillary, que tinha 35%. Em Maryland, uma ordem judicial determinou que a votação fosse prorrogada por mais 1 hora e meia em razão do mau tempo. No entanto, de acordo com os primeiros resultados no Estado - 85% dos votos apurados - Obama também derrotou Hillary (60% a 37%). Em Washington D.C., o triunfo também foi avassalador. Com 98% dos votos apurados, Obama tinha 75%, contra 24% de Hillary. Para piorar a situação de Hillary, Obama assumiu, pela primeira vez, a liderança da corrida democrata em número de delegados, de acordo com a CNN: 1.195 a 1.178. Texas Conformada com a iminente derrota nas primárias de ontem, a senadora e pré-candidata democrata Hillary Clinton levou sua campanha para o Texas, onde acredita ter mais chances de vitória. Os assessores de Hillary apostam que depois de uma série de derrotas, ela precisa vencer de qualquer maneira as primárias tanto no Texas quanto em Ohio, ambas marcadas para o dia 4, para interromper a escalada do seu adversário no partido, o senador Barack Obama. As pesquisas dão ligeira vantagem para a ex-primeira-dama e o eleitorado nesses dois Estados favorece Hillary. Os assessores de Obama, no entanto, afirmam que as duas primárias - Ohio e Texas - ainda estão muito longe e que os resultados das primárias de fevereiro (Virgínia, Maryland, Washington D.C., Havaí e Wisconsin) influenciarão os eleitores em Ohio e Texas.  Hillary tem tentado ao máximo atenuar os resultados das primárias de fevereiro. Na segunda-feira, a senadora realizou uma videoconferência com doadores, superdelegados e outros partidários e ouviu os temores de sua base eleitoral de que a seqüência de derrotas poderia prejudicar sua votação em Ohio e Texas. "Ela tem de vencer em Ohio e Texas por uma margem confortável, senão está fora", disse um superdelegado que apoiou Hillary, mas que preferiu manter o anonimato. Assessores de campanha da candidata, que também pediram para não serem identificados, confirmaram a mesma análise. Diversos superdelegados de Hillary já estão hesitantes diante do crescimento de Obama. Como as pesquisas mostram o senador ganhando força em Wisconsin e no Havaí, onde serão realizadas as próximas primárias, dia 19, assessores, doadores e superdelegados de Hillary disseram estar conformados em passar fevereiro em branco, sem nenhuma vitória. Republicanos Entre os republicanos, John McCain venceu Mike Huckabee na Virgínia em uma disputa acirrada. Com 95% dos votos apurados, o senador obteve 50%, enquanto Huckabee tinha com 41%. Com 90% dos votos apurados em Washington D.C., McCain havia vencido com 67% dos votos, contra 17% de Huckabee. Em Maryland, com cerca de 5% dos votos apurados, o senador derrotava Huckabee por 56% a 34%. Segundo projeções da rede de TV CNN, contudo, Huckabee não tinha mais como alcançá-lo.

Mais conteúdo sobre:
eleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.