Obama vence em Wisconsin e amplia vantagem sobre Hillary

Senador vence no Havaí também; McCain obtém vitória nas duas prévias republicanas

Associated Press e Efe,

19 de fevereiro de 2008 | 23h52

O pré-candidato democrata Barack Obama venceu as prévias desta terça-feira, 19, em Wisconsin e no Havaí. Já são dez vitórias de Obama contra a senadora Hillary Clinton. Do lado republicano, a vitória foi de John McCain em Wisconsin e Washington.   Veja também:Bush pai apóia McCain na corrida republicanaDemocratas fazem apelos populistas antes de WisconsinObama e McCain já falam como candidatosVitória agrava crise na campanha de Hillary Guterman: Hillary acabou? Pense de novo Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  As vitórias de Obama nas prévias de Wisconsin aumentam a vantagem do pré-candidato em relação a Hillary, que deposita suas últimas esperanças na disputa interna do partido nas prévias marcadas para o dia 4 de março em Ohio e no Texas. O senador obteve 58% dos votos contra 41 de Hillary. Segundo a rede MSNBC, com a vitória em Wisconsin, Obama tem agora 1.116 delegados dos 2.025 necessários. Hillary tem agora 986. Com 51% dos votos apurados no Havaí, Obama obtém 76% da preferência do eleitorado democrata havaiano, contra 23% de sua rival, a senadora por Nova York Hillary Clinton. Nas prévias deste local, estão em jogo 20 delegados. O pré-candidato republicano McCain superou amplamente os outros pré-candidatos do partido, o ex-governador de Arkansas Mike Huckabee e o congressista Ron Paul. Ele obteve 55% dos votos e Huckabee ficou com 37%. No Estado de Washington, McCain tinha 49% dos votos e Huckabee, 22%, com 57% das urnas apuradas. As vitórias desta terça-feira reforçam as possibilidades de McCain de obter a candidatura presidencial republicana nas eleições de novembro. Ele tem agora 835 dos 1.191 delegados necessários contra 243 de Huckabee. Texto atualizado às 6h40

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUAdemocratasObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.