Partido gastou US$ 150 mil em roupas para Palin, diz revista

Compras de uso pessoal da vice republicana despertam dúvidas sobre legalidade segundo as normas eleitorais

Efe e AP,

22 de outubro de 2008 | 15h04

O Partido Republicano gastou mais de US$ 150 mil com roupas e acessórios para sua candidata à Vice-Presidência dos Estados Unidos, Sarah Palin, e com sua família, informa neste quarta-feira, 22, a revista Político. A publicação diz que estas compras de uso pessoais geram dúvidas sobre sua legalidade de acordo com as normas da Comissão Federal Eleitoral americana (FEC, em inglês).  Veja também:Obama abre dois dígitos de vantagem, indica pesquisa'Tenho mais experiência do que Obama', diz Sarah PalinConfira os números das pesquisas nos Estados Obama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA As compras começaram no início de setembro e incluem itens de lojas de departamento de luxo como Saks Fifth Avenue e Neiman Marcus, nas quais gastou mais de US$ 124 mil, assim como outras, onde não se comprou roupas apenas para a candidata, mas também para seus filhos e marido. O Comitê Nacional Republicano "também gastou US$ 4.716,49 com cabelo e maquiagem em setembro, depois que não registrou despesas deste tipo em agosto", acrescentou a revista. Perguntada pela Politico sobre estas despesas, a porta-voz de Palin, Maria Comella, se limitou a declarar que os responsáveis pela campanha eleitoral "não comentam decisões estratégicas sobre como são gastos os recursos financeiros destinados à campanha." A notícia também aparece quando a campanha do candidato republicano à Casa Branca, John McCain, aparentemente enfrenta dificuldades financeiras. Os recursos de cerca de US$ 50 milhões com os quais contou a campanha republicana contrastam com os US$ 150 milhões doados à campanha do candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama. As pesquisas mais recentes indicam que a candidatura da governadora do Alasca prejudicou a popularidade de McCain. Em entrevista na terça à CNN, Palin afirmou que tem mais experiência do que Obama. "Tenho mais experiência que Barack Obama. Sabe que serviu 300 dias antes de se transformar em candidato presidencial, e isto não era um cargo executivo", declarou Palin à CNN. Apesar disto e da experiência de McCain, as pesquisas de opinião também não são favoráveis para a campanha republicana, cujo candidato à Presidência dos EUA aumenta sua desvantagem frente a Obama. A estas perspectivas se une o comparecimento de Palin à Justiça para responder a denúncias de abuso de poder por demitir um oficial de segurança no Alasca, caso no qual também está envolvido seu marido, Todd Palin. A candidata deverá depor na próxima sexta na investigação sobre a demissão de Walter Monegan, que ocupava o cargo de comissário de Segurança Pública do Alasca e que alega ter sido despedido por ter se negado a afastar o agente Michael Wooten, que se divorciou da irmã de Palin. Papel do vice Perguntada por um aluno do ensino fundamental sobre o que faz o vice-presidente, Palin respondeu que essa pessoa é o "parceiro de equipe" do presidente, e também "dirige o Senado". A governadora do Alasca ainda falou que o vice-presidente pode ainda trabalhar junto aos senadores e "fazer muitas boas mudanças políticas." Ainda que voltadas para um aluno de oito anos, as explicações de Sarah simplificam bastante as obrigações do cargo, segundo a Constituição dos Estados Unidos. A principal função do vice-presidente é substituir o presidente em caso da morte, renúncia, impeachment ou incapacidade de permanecer no cargo.  A Carta nomeia o vice-presidente como o presidente do Senado, porém ele pode votar apenas em caso de empate. O vice-presidente, como membro do Executivo, não tem papel oficial no desenvolvimento da legislação, nem em apresentar os projetos ou debatê-los no Senado. Sob todos os aspectos importantes, o líder da maioria que comanda a Casa. Tradicionalmente, o vice-presidente comparece ao Senado em eventos cerimoniais e em caso de empate. No passado, o próprio presidente determinava o papel do vice-presidente em uma administração. A questão para Palin foi formulada quando a candidata concedia uma entrevista para a KUSA-TV, em Denver. A emissora tem um quadro chamado "Pergunta da Terceira Série". Sarah concluiu sua resposta dizendo que "é um grande emprego, e eu quero muito conseguir esse emprego." 

Tudo o que sabemos sobre:
Sarah Palineleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.