Carolyn Kaster/AP
Carolyn Kaster/AP

Pelo Twitter, Trump volta a atacar procurador que investiga interferência russa na eleição

Presidente dos EUA volta a negar as acusações e fala em 'caça às bruxas'

Renato Carvalho, O Estado de S.Paulo

29 Julho 2018 | 20h44

Pelo Twitter, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a atacar neste domingo o procurador especial do Departamento de Justiça, Robert Mueller, que investiga uma suposta interferência da Rússia na eleição presidencial de 2016.

"Não há conluio! A caça às bruxas manipulada conduzida por Robert Mueller, liderada agora por 17 (aumentada de 13, incluindo um advogado da Casa Branca no governo Obama) Democratas Raivosos, foi iniciada por um dossiê fraudulento, pago por Hillary e o DNC (Convenção Nacional Democrata, na sigla em inglês). Portanto, a caça às bruxas é um golpe ilegal!", escreveu Trump.

O presidente dos Estados Unidos levantou ainda outras questões, como uma relação comercial "muito desagradável e conflituosa" entre ele e Mueller. Cita ainda a recusa de nomeá-lo como chefe do FBI, e a amizade do procurador com James Comey, demitido por Trump do FMI no ano passado.

Trump questiona ainda as nomeações de Mueller para o comitê de investigação sobre a interferência russa, com indicações "apenas de Democratas Raivosos, alguns dos quais trabalharam para Hillary, outros, inclusive ele próprio, trabalharam para Obama". Trump finaliza dizendo que Mueller deveria investigar todas as atividades criminosas, inclusive um conluio "real" entre russos e Democratas para elaborar o dossiê.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.