Pesquisa aponta Obama e McCain empatados nas eleições

A enquete indica que McCain, nos últimos dois dias, diminuiu a vantagem em relação a Obama

Efe

13 de julho de 2008 | 14h38

A disputa pela Casa Branca entre o senador republicano pelo Arizona, John McCain, e o candidato democrata, Barack Obama, está equilibrada, uma vez que ambos os candidatos contam neste domingo, 13, com o apoio de 43% dos eleitores, segundo uma enquete feita pelo centro Rasmussen, que realiza pesquisas diárias.  Veja também:Obama x McCain  Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA  A enquete indica que McCain, nos últimos dois dias, diminuiu a vantagem em relação a Obama, apesar de ressaltar que serão necessários vários dias mais para constatar se os novos números representam uma mudança real ou se correspondem apenas a uma circunstância momentânea. No sábado, McCain e Obama obtiveram a mesma percentagem de apoio que hoje, mas na sexta-feira, o senador por Illinois superou seu adversário em um ponto percentual. Outra enquete do centro Ramussen revela que 30% dos prováveis eleitores têm uma boa opinião sobre Obama, enquanto 26% afirmam o contrário. No caso de McCain, 17% dos indagados vêem com muito bons olhos o senador pelo Arizona e 17% pensam o contrário. Entre os eleitores independentes, 18% têm uma boa opinião sobre Obama e 16% sobre McCain. Outro dado indica que McCain recebe uma boa qualificação de 32% dos democratas, enquanto o senador afro-americano somente obtém o apoio de 23% dos republicanos. A pesquisa mostra também que 41% dos eleitores consideram que a economia é um assunto primordial nas eleições e esses possíveis eleitores preferem claramente Obama. Para 23% dos indagados, o assunto mais importante é a segurança nacional, uma opinião que favorece McCain. Assuntos internos como a previdência social e a saúde são os temas principais para 12%, enquanto questões tributárias são consideradas prioridade por 8%. Cultura é para 5% a coisa mais importante a ser levada em conta pelo novo presidente. O Rasmussen obtém seus resultados a partir de enquetes telefônicas noturnas diárias, baseadas em entrevistas com mil prováveis eleitores. A margem de erro é de 2%.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.