Pesquisa mostra Obama à frente em quatro Estados-chave

Democrata lidera em Nevada, Carolina do Norte, Pensilvânia e Ohio; ele já teria 291 votos eleitorais, aponta CNN

Agências internacionais,

30 de outubro de 2008 | 14h45

Pesquisa da rede CNN divulgada nesta quinta-feira, 30, mostra o candidato democrata à Casa Branca, Barack Obama, à frente de seu rival republicano, John McCain, em Estados-chave para as eleições de 4 de novembro. O senador por Illinois lidera em Nevada, Carolina do Norte e Pensilvânia, indica a sondagem CNN/Time/Opinion Research Corp. Obama também mantém sua vantagem de 4 pontos em Ohio, enquanto McCain está à frente por 7 pontos no Arizona, seu Estado natal.   Segundo projeção da emissora americana, se a eleição fosse hoje, o democrata venceria com 291 votos nos Colégios Eleitorais. McCain contaria com 163 votos e 84 permanecem indecisos. Para ser eleito, o presidente americano não precisa vencer pela maioria do voto popular, mas conquistar o mínimo de 270 votos nos Colégios Eleitorais.   Veja também: Obama abre 7 pontos de vantagem sobre McCain, aponta Zobgy Em anúncio milionário de meia hora, Obama não cita McCain Enquete: Você votaria em McCain ou Obama?  Confira os números das pesquisas nos Estados  Obama x McCain  Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA   Os candidatos voltaram nesta quinta-feira a fazer campanha nos Estados mais disputados, depois da grande propaganda eleitoral de Obama que na noite de quarta ocupou meia hora da programação de grandes emissoras americanas. A cinco dias da votação, o democrata retornou à Flórida, Estado onde segundo algumas pesquisas ele ainda enfrenta rejeição pelo eleitorado branco.   Obama insiste para seus partidários que é preciso conquistar votos porque a batalha ainda não está ganha, apesar de seu favoritismo apontado por várias pesquisas no país. Por sua vez, McCain se diz cômodo com sua posição na disputa. Ele decidiu voltar a Ohio, outro Estado vital para a eleição que está sendo duramente atingido pela crise econômica.   Os assessores do republicano reiteram que nada está decidido. "Todos os indicadores apontam uma eleição mais disputada do que se pensa", afirmou o responsável pelas pesquisas da campanha de McCain, Bill McInturff.   Mais de 16 milhões de americanos já votaram na sessão de eleições antecipadas, que vai até domingo. Neste ritmo, um terço dos eleitores já terão votado antes de terça-feira, segundo um estudo de Michael McDonald, professor da universidade americana George Mason. O número representa o dobro do atingido no pleito adiantado há oito anos.   O processo favorece Obama, já que a maioria destes eleitores são registrados como democratas. Mas os republicanos também apostam que mobilização do eleitorado também os beneficie. "Não há simplesmente nenhum modelo que possa predizer a composição do eleitorado", assegura McInturff. Entretanto, especialistas apontam que 59% dos eleitores que já passaram pelas urnas votaram no candidato democrata, de acordo com o estudo de Michael McDonald.   Futuro de Palin   A candidata à vice-presidência republicana, Sarah Palin, está olhando para seu futuro político, apesar de seu presente imediato estar indefinido. Em uma entrevista na quarta-feira à ABC News, a governadora do Alasca indicou que não desaparecerá da cena política nacional, caso seja derrotada nas eleições presidenciais.   Antes disso, Sarah afirmou que acredita na vitória da chapa formada por ela e McCain. Porém, deu a entender que, em caso de derrota, não deve ficar apenas na política de seu Estado. "Absolutamente não", comentou. "Eu não estou fazendo isso por nada."   Além da entrevista, Sarah participou de três comícios em Ohio e Indiana, dois Estados com disputa bastante acirrada. Nesta quinta-feira ela deve participar de eventos no Missouri e na Pensilvânia, onde a batalha segue equilibrada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.