Pesquisa mostra Obama e Hillary praticamente empatados

Senador teria 47% dos votos, contra 45% da ex-primeira-dama, no Estado que será palco das próximas prévias

29 de abril de 2008 | 18h48

Os pré-candidatos à Presidência americana Barack Obama e Hillary Clinton estão estatisticamente empatados para as prévias de Indiana, no norte do Estados Unidos, prevista para 6 de maio, segundo uma pesquisa do instituto Howey-Gauge, publicada nesta terça-feira, 29, de acordo com a agência France Presse.   Veja também: Obama se diz 'ultrajado' com comentários de pastor Wright Cresce divisão interna entre partidários de Hillary e Obama Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    O senador por Illinois teria 47% dos votos, contra 45% obtidos por Hillary. Levando-se em conta a margem de erro de 4.1 pontos para mais ou para menos, os democratas estão tecnicamente empatados.   Segundo a pesquisa, 8% dos eleitores declararam-se indecisos. Além de Indiana, as eleições primárias da semana que vem ocorrerão em Carolina do Norte, onde Obama parte claramente como o favorito.   Após a vitória de Hillary há oito dias, o senador também deverá vencer em Indiana se quiser faturar os votos dos superdelegados indecisos, provando que também pode ganhar nos Estados com forte presença de trabalhadores.   Estas primárias estarão abertas a todos os eleitores e não somente aos democratas. Segundo Holly Davis, condutor do estudo, são os eleitores independentes e republicanos podem determinar quem será o vencedor das prévias democratas.   Indiana, que votou no presidente George W. Bush em 2000 e 2004, é um sólido reduto de eleitores republicanos. A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 24 de abril com 600 pessoas.   Em uma pesquisa geral divulgada na segunda-feira pela agência Associated Press, Hillary venceria o republicano John McCain por 50% a 41%. Já Obama segue tecnicamente empatado, com 46%, contra 44% do republicano.   Ainda nesta terça-feira, o governador da Carolina do Norte, Mike Easley, endossou a candidatura da senadora democrata. "É hora de alguém na Casa Branca entender os desafios que este país enfrenta", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.