Plano para economia de Obama pode atingir US$ 1 tri, diz jornal

Agravamento da crise fez equipe do eleito rever estimativas para pacote de estímulo, afirma 'Wall Street Journal'

Reuters,

14 de dezembro de 2008 | 15h40

A equipe do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, está considerando um plano de estímulo à economia americana que pode ir além das estimativas anteriores e atingir US$ 1 trilhão em dois anos, informou o Wall Street Journal no sábado, 13. Os auxiliares de Obama, que consideravam um pacote de meio trilhão há dois anos, agora avaliam US$ 600 bilhões "em uma estimativa muito baixa", afirmou o diário americano, citando pessoas próximas à questão. Veja também:Obama: EUA não podem deixar montadoras quebraremDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   Espera-se que o tamanho final do estímulo seja significantemente maior do que a previsão, possivelmente entre US$ 700 bilhões e US$ 1 trilhão, devido a deterioração da economia do país. A equipe de Obama, que toma posse em 20 de janeiro, não quis comentar o tamanho do pacote. Durante a campanha presidencial, o democrata prometeu que irá lançar grandes programas governamentais para ajudar a economia dos EUA. Ainda segundo o Wall Street Journal, o presidente eleito deve receber de seus assistentes mais detalhes do pacote nesta semana, com informações de como ele poderia ser aprovado no Congresso em janeiro. Economistas dizem esperar que Obama assine rapidamente um pacote de estímulo para vários anos que poderia atingir US$ 750 bilhões. Recentemente, a administração do presidente George W. Bush aprovou um pacote de US$ 700 bilhões para recuperar o sistema bancário do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.