'Quem é o real senador Obama?', questiona McCain em comício

Em desvantagem nas pesquisas, candidato republicano diz que passado do rival não condiz com suas promessas

Da Redação, estadao.com.br

08 de outubro de 2008 | 19h23

Intensificando seus ataques, o candidato republicano à Casa Branca, John McCain, disse nesta quarta-feira, 8, que os eleitores não devem confiar no democrata Barack Obama. "O que Obama diz hoje e o que ele fez no passado são duas coisas diferentes. Quem é o real senador Obama?", perguntou McCain em um comício em Bethlehem, na Pensilvânia, informou a emissora CNN.  Veja também:Site ironiza McCain por ter chamado Obama de 'aquele lá'Obama consolida imagem de líder em debateGaleria de fotos do debate Obama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA Em desvantagem nas pesquisas, no debate de terça-feira McCain lançou uma série de ataques contra Obama, chegando a se referir ao rival como "aquele lá", o que foi rapidamente condenado pela campanha democrata e pela imprensa americana. "Nós ouvimos tudo o que ele disse, mas é menos claro o que ele fez ou fará", continuou McCain no comício. Segundo a CNN, o republicano tentou retratar o democrata como um candidato de promessas vazias. "Você não tem que acreditar que as coisas irão mudar quando vota em mim. Você sabe que as coisas irão mudar, porque eu estive lutando pela mudança em Washington durante toda minha carreira", completou McCain, fazendo alusão ao slogan de Obama sobre mudança. Joe Biden, candidato à vice-presidência da chapa democrata, também criticou a vice de McCain, Sarah Palin, pelas "conclusões mais ultrajantes". Na última semana, Sarah acusou Obama de "ser amigo de terroristas que poderiam atacar nosso próprio país". Ela estava se referindo aos laços do candidato democrata com William Ayers, membro fundador do Weather Underground, grupo radical da década de 1970. "Esses ataques não machucam Barack Obama ou a mim. Eles machucam vocês", declarou Biden em um comício na Flórida. "Cada acusação falsa e sem base é uma tentativa de fazer vocês deixarem de prestar atenção no que está acontecendo neste país. Além dos ataques, o que John McCain está oferecendo?", perguntou o vice democrata, de acordo com a CNN. Cindy McCain, mulher do republicano, também entrou na troca de acusações. Ela disse a um jornal de Tennessee que Obama está engajado "na campanha mais suja da história americana". "É necessário assegurar que o povo americano entenda o que nós temos que dizer, e o que nós iremos fazer para eles se tivermos sorte o suficiente para sermos eleitos", afirmou. Pesquisas divulgadas nesta quarta reafirmam a vantagem do candidato democrata. O site RealClearPolitics, que elabora uma média das principais sondagens, aponta que Obama mantém uma liderança de 4,9 pontos percentuais, de 48,9% contra 44% de McCain. Sobre o desempenho dos candidatos no debate, Obama também ficou à frente. Pesquisa divulgada pela CNN indica que 54% dos espectadores acreditam que o senador por Illinois se saiu melhor na noite de terça-feira em Nashville, enquanto 30% considera que o vencedor foi McCain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.