Republicanos chegam a Minnesota para assistir à convenção

Organizadores esperam que 45 mil participem do evento, fortemente protegido por agentes secretos e policiais

Efe,

31 de agosto de 2008 | 15h32

Milhares de republicanos começaram neste domingo, 31, a invadir Minneapolis-Saint Paul (Minnesota), onde, na segunda-feira, começará a Convenção Nacional Republicana, protegida por um exército de agentes do serviço secreto e por policiais. Os organizadores esperam aproximadamente 45 mil participantes, incluindo os quase 2,4 mil delegados dos estados que elegerão John McCain como seu candidato à presidência dos Estados Unidos, e cerca de 15 mil jornalistas.    No entanto, os manifestantes desejam superar este número e reunir 50 mil em uma manifestação na segunda-feira. Por outro lado, mais de 84 mil pessoas foram ao estádio Invesco Field, em Denver, na quinta-feira passada, para ver Barack Obama ser declarado oficialmente candidato democrata à presidência.     Veja também: Furacão Gustav ameaça a convenção Republicana Bush e Cheney não irão à convenção republicana na segunda Perfil: Sarah Palin enfrenta investigação no Alasca Perfil: McCain tenta ser o mais velho a ser eleito Vice de McCain 'é mais do mesmo', diz campanha de Obama Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Para receber os visitantes, o aeroporto internacional de Minneapolis-Saint Paul se transformou em um mar vermelho, branco e azul, as cores da bandeira americana. Ao mesmo tempo, as medidas extraordinárias de segurança são evidentes: há máquinas que detectam explosivos e cães policiais.   Esta medida faz parte de um dispositivo iniciado há dois anos, segundo o diretor-executivo da Comissão de Aeroportos Metropolitanos, Jeff Hamiel. Nas proximidades do Xcel Energy Center, onde acontecerá a convenção republicana de segunda a quinta-feira, trabalhadores da cidade de Saint Paul soldaram as tampas dos bueiros e fecharam as fábricas de celulose.   "Tudo o que puder se transformar em arma será eliminado", disse à imprensa local Matt Anfang, presidente de uma associação de proprietários de edifícios em Saint Paul. No total, 3.500 agentes de departamentos locais e nacionais serão encarregados da segurança da convenção.   Além disso, 2,1 mil membros da Guarda Nacional vigiarão as instalações importantes e estarão prontos para responder a ataques com armas de destruição em massa. Alguns agentes secretos caminharão pelo local com equipamentos para a detecção de radiação, e a Administração Federal de Aviação restringirá o espaço aéreo.   O dispositivo policial não foi pensado apenas para evitar um possível atentado terrorista, mas também tem em mente os protestos - principalmente em rejeição à Guerra do Iraque - que envolverão o perímetro de segurança que protege o Xcel Energy Center.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.