Republicanos reclamam de contribuições ilegais a Obama

Queixa apresentada pede que Comitê Eleitoral faça uma auditoria nas verbas recebidas pelo democrata

Efe,

07 de outubro de 2008 | 01h18

O Comitê Nacional Republicano apresentou nesta segunda-feira, 6, uma queixa formal ao Comitê Federal Eleitoral (FEC) na qual alega que o candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, recebeu contribuições ilegais e doações de estrangeiros. Veja também:Obama e McCain se preparam para 2º debateObama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA Na queixa, que se baseia especialmente em notícias de meios de comunicação, os republicanos pedem à FEC que faça uma auditoria de todas as contribuições recebidas por Obama, incluindo as que a campanha não tem de declarar por lei em seus relatórios financeiros à comissão, segundo a CNN. O Comitê Nacional Republicano afirma que Obama aceitou contribuições de estrangeiros que estão proibidas e que não averiguou doações suspeitas de fora do país. Os republicanos também solicitam à FEC que investigue se a campanha de Obama falhou em seu dever de prescindir das contribuições que excedem os limites fixados pela lei. A lei federal proíbe contribuições de estrangeiros e o importe das doações individuais está limitado a US$ 2.300 por cada ciclo eleitoral. Isso significa que um contribuinte pode doar até US$ 2.300 a Obama durante as primárias e outros US$ 2.300 nas eleições gerais. "Relatórios da FEC e notícias dos meios de comunicação evidenciam que (a campanha de Obama) aceitou em repetidas ocasiões contribuições excessivas de indivíduos, inclusive daquelas registradas sob nomes obviamente fictícios", diz a queixa republicana. Fraude pela internet No domingo, a campanha de Obama emitiu um comunicado no qual assegura que foi vítima de uma fraude pela Internet. O porta-voz de Obama, Bill Burton, afirmou que a campanha revisa constantemente os dados de seus doadores, mas assinalou que nenhuma organização pode se proteger totalmente de uma fraude pela Internet. Neste sentido, destacou que a campanha do senador por Illinois vai continuar revisando os procedimentos de arrecadação de fundos para garantir "todos os passos disponíveis para descartar doações impróprias". Segundo uma informação da revista Newsweek, a campanha de Obama aceitou uma contribuição de mais de US$ 17.000 de uma pessoa identificada como "Doodad Pro" e mais de US$ 11.000 de um doador com o nome de "Good Will".

Tudo o que sabemos sobre:
eleições EUABarack ObamaJohn McCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.