Secretário de Estado dos EUA ameaça fechar embaixada em Cuba

Rex Tillerson afirmou neste domingo que possibilidade 'está sendo avaliada' após ataques acústicos ferirem 21 funcionários

O Estado de S. Paulo

17 Setembro 2017 | 16h43

O Secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, afirmou neste domingo que a possibilidade de fechar a embaixada dos EUA em Cuba "está sendo avaliada", após a série de misteriosos ataques acústicos que deixaram ao menos 21 funcionários feridos.

Segundo Tillerson, "trata-se de um assunto muito sério pelo dano que alguns indivíduos sofreram. Alguns deles estão sendo repatriados", declarou o Secretário. A declaração foi dada em entrevista a rede de televisão CBS.

(Vídeo: em agosto, quando o caso foi divulgado, 16 funcionários da embaixada apresentavam problemas de saúde; assista)

O FBI investiga os ataques que começaram no final de 2016 e causaram perda auditiva, náuseas, confusão mental, entre outros sintomas em ao menos 21 funcionários da embaixada. A origem dos ataques é desconhecida. A suspeita é que se trate de algum tipo de "ataque acústico", já que alguns funcionários relataram terem ouvido sons estridentes inexplicáveis.

A embaixada dos EUA em Cuba foi reaberta em 2015, na gestão do ex-presidente Barack Obama, após décadas de rompimento diplomático. A chancelaria dos Estados Unidos notificou o governo cubano sobre os ataques e afirmou que é de inteira responsabilidade local a segurança dos funcionários da embaixada./COM INFORMAÇÕES DA AFP.


           

  

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.