'Sejam responsáveis', recomenda Paul Volcker ao Brasil

Ao 'Estado', indicado de Obama para chefiar novo conselho anticrise elogiou política econômica do País

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

26 de novembro de 2008 | 16h57

"Sejam responsáveis". Essa é a principal recomendação que o ex-presidente do Federal Reserve Bank e uma das lendas vivas das finanças, Paul Volcker, deu ao Brasil em entrevista ao Estado realizada em julho. Nesta quarta-feira, 26, Volcker foi nomeado com um dos principais atores do governo de Barak Obama. Volcker, ao Estado, deixou claro que o grau de investimento recebido pelo Brasil pelas agências de rating "foi merecido". Mas sugere que as autoridades monetárias e o governo brasileiro precisam dar provas de cautela e responsabilidade a partir de agora. Com seus 80 anos e mais de dois metros de altura, Volcker declarou logo no início do ano seu apoio ao democrata Barak Obama nas eleições americanas. Antes mesmo da crise eclodir, ele revelou ao Estado: "A situação financeira do mundo é grave. Muito grave mesmo", alertou. Eis os principais trechos da entrevista:     Veja também: Obama indica Paul Volcker para novo conselho anticrise Para Obama, revisão do orçamento dos EUA é 'necessidade' O gabinete do presidente eleito   Estado - Como o sr. avalia a situação econômica do Brasil?   Volcker - O Brasil é um história de sucesso, pelo menos por enquanto. Lembro-me como se fosse ontem a crise que o País viveu em 2003 com as eleições do atual presidente (Luis Inácio Lula da Silva). Naquele ano, o Brasil estava à beira de um colapso. Mas o governo deu provas de maturidade e conseguiu superar obstáculos que eram enormes e que, em alguns momentos, pareciam mesmo impossíveis de serem derrubados.   Estado - Recentemente, agências de rating deram um status de grau de investimento ao Brasil. O sr. também daria ?   Volcker - Certamente. O Brasil fez por merecer esse status. É só ver o risco-país e como o mercado internacional reagiu positivamente em relação à estabilidade obtida pela economia brasileira. O grau de investimento foi merecido.   Estado - Qual deve, então, ser o caminho seguido pelo Brasil a partir de agora com o novo estatus?   Volcker - Sejam responsáveis. Isso é a principal sugestão que eu poderia dar. Não se deixem levar por entusiasmos passageiros. A cautela fiscal e orçamentária precisam ser mantidas. Lembro-me como se fosse ontem a crise em 2003. É impressionante o que o Brasil conseguiu desde então. O segredo é seguir com a mesma estratégia. O Brasil tem pessoas inteligentes que sabem que precisam manter essa linha.   Estado - Como o senhor analisa a situação financeira internacional?   Volcker - A situação financeira do mundo é grave. Muito grave mesmo. O sistema financeiro vive um momento difícil e a inflação também preocupa.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaPaul Volcker

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.