Suspense marca primeiro debate entre Obama e McCain

McCain considera primordial a aprovação do pacote de ajuda ao setor financeiro; Obama confirma presença

Da Redação,

26 de setembro de 2008 | 11h52

Poucas horas antes do primeiro debate presidencial entre os candidatos republicano e democrata, marcado para a noite nesta sexta-feira, 26, na cidade de Oxford, no Mississippi, ainda não há confirmação se o encontro vai ou não ocorrer.   Veja também: Obama e McCain se reúnem com Bush hoje Crise financeira faz Obama subir nas pesquisasObama x McCainEntenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA Entenda a crise nos EUA   O republicano John McCain alega que a aprovação do pacote de ajuda ao setor financeiro é assunto primordial para a nação americana. Já a campanha do democrata Barack Obama afirma que ele estará no Mississippi.  Caso McCain não apareça, segundo fontes democratas, Obama transformaria o debate em um encontro com eleitores, onde o candidato responderia a perguntas da platéia ou do mediador Jim Lehrer, da rede PBS. No Mississippi, Estado onde McCain lidera com folga, reina a frustração. A Universidade do Mississippi, que organizou o debate, afirmou que o prejuízo com a ausência de McCain seria de US$ 5 milhões. A campanha republicana propôs adiar o primeiro confronto entre os dois para terça-feira, quando será realizado o debate entre os candidatos a vice-presidente - o democrata Joe Biden e a republicana Sarah Palin. O debate entre Biden e Palin seria adiado para uma data posterior, ainda não definida. Segundo analistas, o objetivo de McCain seria preservar Palin de um confronto com Biden.

Tudo o que sabemos sobre:
OBAMA, MCCAINDEBATE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.