AP Photo / Tom Copeland
AP Photo / Tom Copeland

Tempestade tropical Florence provoca ao menos 14 mortes nos EUA

A passagem do furacão, que perdeu sua intensidade e foi rebaixado para tempestade, aumentou o número de mortos nos Estados da Carolina do Norte e Carolina do Sul

O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2018 | 12h06

Subiu de cinco para 14 o número de mortes causadas pelo Florence, furacão rebaixado para tempestade tropical que atinge os Estados da Carolina do Norte e Carolina do Sul, nos Estados Unidos. Autoridades do condado de Horry, da Carolina do Sul, informaram que um casal de idosos, de 63 e 61 anos, morreu na cidade de Loris por inalar monóxido de carbono após ligar o gerador de energia. Apesar de terem sido encontrados em casa na tarde de sábado, acredita-se que eles morreram na sexta-feira.

A última vítima confirmada é um jovem de 23 anos, que morreu  neste domingo após o caminhão em que ele estava ter perdido o controle em uma estrada alagada no condado de Georgetown, na Carolina do Sul. Mais cedo, autoridades da divisão de gerenciamento de emergências do Estado da Carolina do Norte informaram que 171 estradas estão fechadas, 100 a mais do que no sábado.

Apesar de ter se enfraquecido, o Florence permanece girando sobre as "Carolinas", trazendo águas do oceano para o continente. Na Carolina do Norte, autoridades se preparam para inundações catastróficas de grandes proporções. Medidores de fluxo apontam que os níveis de diversos rios devem continuar subindo neste domingo e na segunda-feira, podendo atingir patamares recordes.

Há grandes chances de os rios The Little River, Cape Fear, Lumber, Neuse, Waccamaw e Pee Dee inundarem comunidades próximas. Mais de 7,5 mil pessoas já receberam ordens para evacuar a região de até 1,6 quilômetros dos rios Cape Fear e The Little River, que ficam a cerca de 160 quilômetros da costa. A evacuação da zona inclui parte da cidade de Fayetteville, que possui 200 mil habitantes.

Neste domingo, a prefeita de Hope Mills, na Carolina do Norte, informou que autoridades locais estão alertando a população sobre a expectativa de que os níveis da água na localidade subam significativamente. Ainda no Estado, a prefeita da cidade de New Bern, Dana Outlaw, anunciou toque de recolher. Segundo ela, 30 estradas estão fechadas, 4,2 mil casas e 300 estabelecimentos comerciais foram danificados, 6 mil pessoas estão sem energia elétrica e 1,2 mil moradores estão atualmente em abrigos.

Também neste domingo, a companhia de energia Duke Energy informou que até o momento restabeleceu o fornecimento de eletricidade para mais de 830 mil clientes na Carolina do Norte e Carolina do Sul, de um total de mais de 1,25 milhão que sofreram com a interrupção do serviço por causa do Florence. Cerca de 450 mil residências - 412 mil na Carolina do Norte e 38 mil na Carolina do Sul - permaneciam sem energia até as 10h (horário local). A empresa diz que 20 mil funcionários estão trabalhando. Mas novas interrupções são esperadas para este domingo, em virtude de a tempestade tropical continuar presente nos dois Estados.

À emissora de TV NBC, o chefe da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências, Brock Long, disse que o governo está trabalhando para atender às demandas de autoridades da Carolina do Norte à medida que elas chegam. O foco imediato da agência, segundo Long, é continuar os trabalhos de resgate e suprir as necessidades das pessoas que estão em abrigos. / AP e Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.