Chip Somodevilla/Getty Images/AFP
Chip Somodevilla/Getty Images/AFP

Trump nega acusações de assédio sexual em último debate

Candidato republicano insinuou que as nove mulheres que o acusaram querem ficar famosas ou foram recrutadas pela campanha de Hillary Clinton

Redação Internacional, O Estado de S. Paulo

20 Outubro 2016 | 07h03

Cláudia Trevisan

Enviada Especial / Las Vegas, EUA

Donald Trump adotou a estratégia da negação absoluta e afirmou que as nove mulheres que o acusaram nas últimas duas semanas de investidas sexuais impróprias estão mentindo. "Eu nem pedi desculpas para minha mulher, que está sentada aqui, porque eu não fiz nada", afirmou Trump. O republicano também negou que tenha rechaçado as acusações com o argumento de que suas supostas vítimas não seriam atraentes o bastante para merecer sua atenção. A afirmação contraria o que foi visto por milhões de americanos em suas televisões ao longo da semana passada, quando Trump se referiu de maneira depreciativa à aparência das acusadoras em vários comícios.

No debate presidencial de quarta-feira, 19, em Las Vegas, o bilionário disse ainda que as mulheres que o acusaram foram movidas pela busca de celebridade ou foram recrutadas pela campanha de Hillary.

O comportamento do bilionário em relação às mulheres foi explorado com sucesso por Hillary desde o primeiro debate presidencial, no dia 26 de setembro. Naquela ocasião, Hillary se referiu às críticas de Trump à ex-miss Universo Alicia Machado, que disse ter sido humilhada pelo candidato em 1996 depois de engordar.

O segundo embate ocorreu dois dias depois da divulgação de vídeo gravado em 2005, no qual o bilionário fala de mulheres de maneira vulgar e diz que pode fazer o que quiser com elas por ser famoso.

No meio do debate de quarta-feira, 19, durante uma discussão sobre Seguridade Social, Trump deixou escapar um comentário que foi interpretado por sexista por alguns analistas. "Que mulher tão desagradável", afirmou.

Quando a discussão sobre as nove mulheres foi levantada pelo moderador, Hillary fez questão de estar à altura do comentário. "Donald acredita que menosprezar as mulheres o torna superior", afirmou. "Ele vai atrás de sua dignidade, seu amor-próprio e eu não creio que haja uma única mulher que não saiba como que isso as faz sentir. Nós sabemos o que Donald pensa e o que ele diz e como ele age em relação às mulheres. Isso é o que Donald é."

Mais conteúdo sobre:
Estados UnidosDonald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.