Vice de McCain ameaça declarar guerra contra Rússia

Sarah Palin diz que tomaria medida se Moscou novamente invadisse a Geórgia, aliada americana no Cáucaso

Efe,

11 de setembro de 2008 | 21h28

A candidata republicana à vice-presidência dos Estados Unidos, Sarah Palin, disse nesta quinta-feira, 11, que os EUA poderiam declarar a guerra à Rússia se as forças de Moscou invadirem a Geórgia de novo, uma vez que esse país seja membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), como ela deseja. "Temos que vigiar a Rússia. É inaceitável que a Rússia tenha exercido tal pressão em termos de invadir um país democrático menor, sem provocação", disse Palin em uma entrevista à rede ABC.   Veja também: Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    A vice republicana, que é governadora do Alasca, disse que é a favor de que Geórgia e Ucrânia se integrem à Otan. Perguntada se isso significaria que os Estados Unidos declarariam a guerra à Rússia se invadisse a Geórgia de novo, Palin respondeu: "Talvez sim, quero dizer, esse é o acordo quando é um dos aliados da Otan. Se outro país for atacado, tem que esperar que peçam ajuda."   A ABC divulgou essas declarações antes da transmissão da entrevista, que será transmitida em várias partes entre esta quinta e sexta. Essa é a primeira entrevista na televisão que Palin concede desde que o candidato republicano à Presidência dos EUA, John McCain, a escolheu como sua companheira de chapa, há duas semanas.   Palin afirmou que não duvidou em dizer sim ao senador quando lhe ofereceu o posto. "Respondi que sim, porque tenho confiança em minha preparação e sei que não se pode piscar, que tem que estar disposta e comprometida com a missão que temos pela frente: a reforma deste país e a vitória na guerra", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.