Vice de McCain elogia Hillary em discurso de apresentação

Sarah Palin pode ajudar republicano a conquistar eleitoras decepcionadas com a derrota da democrata

Agências internacionais,

29 de agosto de 2008 | 13h53

Em uma escolha surpreendente, o senador John McCain anunciou nesta sexta-feira, 29, a governadora do Alasca, Sarah Palin, candidata a vice-presidente, agitando a política americana num momento em que a campanha republicana tenta atrair o eleitorado feminino, especialmente os simpatizantes de Hillary Clinton. A governadora de 44 anos - mais jovem do que o candidato democrata, Barack Obama - fez um apelo imediato pelo apoio das eleitoras democratas, mencionando que segue os passos da primeira vice-candidata democrata, Geraldine Ferraro, e elogiou a senadora Hillary Clinton, lembrando que ela conquistou 18 milhões de votos em sua batalha contra Obama nas primárias democratas. "Isso mostra que as mulheres na América ainda não estão acabadas, nos podemos romper esse teto de vidro".  Foto: APEm um comício na Universidade Estadual de Wright, em Dayton (Ohio), McCain afirmou que a governadora é a parceira que pode melhor ajudar a mudar Washington. A escolha de Palin - que tem 44 anos, sendo mais jovem do que o candidato democrata, Barack Obama - surpreendeu analistas, já que a governadora é um nome relativamente pouco conhecido em nível nacional nos Estados Unidos. Durante discurso, a governadora com menos de dois anos de mandato afirmou que ser escolhida por McCain traz um grande desafio. "Sei que isso exigirá o melhor e não prometo menos do que isso".  Veja também:Perfil: Sarah Palin enfrenta investigação no AlascaPerfil: McCain tenta ser o mais velho a ser eleitoGaleria de fotos Vice de McCain 'é mais do mesmo', diz campanha de ObamaObama x McCainEntenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA  Palin apresentou a família e ressaltou que o filho mais velho se alistou no Exército americano e será enviado para o Iraque em setembro - a campanha republicana é contra a retirada das tropas dos EUA do país. A candidata a vice ainda brincou ao lembrar que além do aniversário de McCain, ela e o marido comemoram 20 anos de casamento e prometeu "surpresas". A governadora não é muito conhecida nacionalmente, e isso pode minar o argumento de McCain sobre Obama ser inexperiente demais para comandar a Casa Branca. Porém, de outro lado, a governadora pode ajudar o republicano a conquistar os simpatizantes insatisfeitos de Hillary Clinton, que perdeu as prévias democratas para o atual candidato do partido. Ao anunciar Palin, McCain apresentou a nova número dois da chapa republicana como alguém que "entende o trabalho para as pessoas". "Ela tem a coragem, a integridade e o comprometimento de que precisamos em Washington hoje". McCain destacou especialmente o histórico de Palin contra a corrupção. "Ela mostrou uma grande tenacidade e habilidade em abordar problemas sérios, especialmente a dependência perigosa do petróleo estrangeiro", destacou McCain. Em seus dois anos como governadora, a maior conquista de Palin foi convencer à legislatura que autorize a TransCanada Alasca a construir um gasoduto de quase três mil quilômetros. Palin, uma conservadora cristã de 44 anos e que se descreve como uma das "mães do hóquei" que governa o Alasca há menos de dois anos, é a primeira candidata a Vice-Presidência do partido. Uma ferrenha opositora do aborto, Palin é casada, tem cinco filhos - o mais novo nascido em abril deste ano, com síndrome de Down - e ficou conhecida por realizar reformas em seu Estado durante seu atual primeiro mandato. Ela apóia a extração de petróleo da reserva nacional selvagem no Ártico - proposta a qual o candidato à Presidência é contra, apesar de ser favorável à extração em alto mar. Em seu discurso, Palin apresentou brevemente sua biografia perante um público que, como o resto do país fora do Alasca, não a conhece. "Cresci trabalhando com as mãos", disse Palin, que se definiu como uma mãe "comum", que assiste a jogos de hóquei de seus filhos no Alasca. Politicamente, se descreveu como "reformista" e afirmou que enfrentou as grandes empresas petrolíferas e "o clube de velhos amigos" que dominava a política de seu Estado. Palin é a segunda mulher a alcançar conseguir a candidatura à Vice-Presidência dos EUA, após a democrata Geraldine Ferraro em 1984, que foi homenageada pela republicana durante o ato.  Apoio de Bush "A Casa Branca está excitada pela escolha", declarou a porta-voz Dana Perino. Ela revelou que Bush ligou para Palin e "disse que a chapa McCain-Palin é muito forte e lhe desejou boa sorte. Ele afirmou que ela será uma fantástica candidata a vice-presidência". Segundo Dana, Bush está "ansioso para uma grande vitória em novembro."  (Matéria ampliada às 15 horas) 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.