Vice de McCain se compara a pitbull e ataca Obama

Em seu discurso, Sarah diz que não está indo a Washington para agradar aos repórteres, mas para servir ao país

BBC Brasil, BBC

04 de setembro de 2008 | 08h18

Sarah Palin se diz uma "hockey mom", ou seja, uma americana média típica e mãe de um jovem praticante de hóquei. E afirmou que só existe uma diferença uma "hockey mom" e um pitbull: o batom. O lado pitbull da governadora do Alasca e companheira de chapa do republicano John McCain veio à tona na quarta-feira, 3, durante seu pronunciamento na Convenção Nacional Republicana. Aplaudida de pé por quase três minutos assim que subiu ao palco, Sarah Palin atacou duramente o rival republicano, Barack Obama, dizendo que ele já assinou dois livros de memórias, mas nunca assinou uma única lei importante ou um projeto de reforma.   Veja também: McCain encerra convenção aquecida por discurso da vice Palin critica imprensa: não busco a opinião deles Galeria de fotos da convenção  Obama x McCain Entenda o processo eleitoral   Cobertura completa das eleições nos EUA    Em outra tirada contra o rival, ela afirmou: "Este é um homem capaz de fazer um discurso inteiro sobre as guerras que a América está combatendo e nunca usar a palavra 'vitória', exceto quando ele está falando de sua própria campanha". Palin fez questão de se retratar alguém que "não faz parte do establishment político" e que, por isso, tem despertado a antipatia da mídia. Mas acrescentou: "Eu não estou indo a Washington para servir à opinião deles (a imprensa). Eu vou a Washington para servir ao povo desse grande país". Nesse momento, a fala da governadora foi interrompida por vaias dirigidas contra o estande onde se encontravam repórteres da rede CNN e ABC, entre outras emissoras.   Os jornais americanos levantaram nos últimos dias uma série de relatos polêmicos envolvendo a candidata na chapa de McCain, inclusive que sua filha adolescente de 17 anos esta grávida. Em seguida, a imprensa revelou que o marido de Sarah, Todd Palin, foi preso, há mais de 20 anos, pela acusação de ter dirigido embriagado.   Antes de a governadora discursar, o evento contou com pronunciamentos de alguns dos ex-candidatos presidenciais do Partido Republicano: Mitt Romney, Mike Huckabee e Rudolph Giuliani. Se Sarah Palin mostrou a agressividade de um pitbull, os astros republicanos agiram feito rotweillers na ferocidade que demonstraram contra os democratas. Todos exaltaram a suposta experiência de Palin e contrastaram o histórico da governadora com o de Barack Obama e seu companheiro de chapa, Joe Biden.   Segundo a governadora do Havaí, Linda Lingle, Obama e Biden "nunca administraram nada, zero, zero", ajudando a criar um bordão que foi repetido pela platéia sempre que se fazia alusões à suposta inexperiência de Obama. De acordo com Giuliani, Palin tem mais experiência do que Obama e Biden somados. O ex-prefeito de Nova York chegou a dizer que Obama é "o candidato presidencial mais inexperiente dos últimos cem anos". Assim como vem fazendo a campanha de McCain, Giuliani também tentou retratar o democrata como um elitista, alheio aos interesses do americano médio.   Sobre as críticas de que Palin teria pouca experiência administrativa, já que ela é governadora há pouco mais de dois anos e administrou uma cidade pequena, Wasilla, com pouco mais de 9 mil moradores, Giuliani ironizou que "talvez Obama não ache a cidade dela cosmopolita o suficiente". Já o ex-governador Huckabee alfinetou o companheiro de chapa de Obama, dizendo que somente em Wasilla, quando eleita prefeita, Palin obteve mais votos do que Joe Biden em sua campanha presidencial.   O discurso de Palin empolgou os delegados e convidados republicanos presentes no auditório do XCel Center. Entre os presentes havia desde delegados e convidados, até celebridades como o ex-secretário de Estado Henry Kissinger e o ator Jon Voight. Para a delegada Joan Smith, o pronunciamento da governadora "foi um sucesso em todos os aspectos. Ela tem muita experiência e é muito articulada". Já Betsy Flemmer, de Washington, acredita que o discurso de Palin foi emocionante e que ela "irá somar à chapa de McCain". "Ela é exatamente o que precisávamos."   Ao final do pronunciamento, John McCain subiu ao palco e indagou: "Vocês não acham que fizemos a escolha certa para ser a próxima vice-presidente dos Estados Unidos?". Nesta quinta-feira, McCain fará o discurso de agradecimento pela indicação de seu partido à presidência, pondo fim à convenção republicana.    

Tudo o que sabemos sobre:
John McCaineleições nos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.