Vitória de Hillary pode trazer novo fôlego à campanha, diz CNN

Resultado esmagador nas prévias desta 3.ª pode levantar novas dúvidas sobre a elegibilidade do rival Obama

13 de maio de 2008 | 18h44

Uma grande vitória da pré-candidata à Presidência americana Hillary Clinton nas prévias desta terça-feira, 13, na Virgínia Ocidental, pode trazer um novo fôlego à campanha da senadora na corrida à Casa Branca, além de levantar novas dúvidas sobre a elegibilidade de seu rival Barack Obama nas eleições gerais, informa a rede CNN.   Veja também: Crescem rumores da saída de Hillary da corrida à Casa Branca Obama é favorito nas eleições contra McCain, diz jornal Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Espera-se que Hillary vença nesta terça com uma grande margem de diferença, mas com apenas 28 delegados em jogo ela não conseguirá diminuir de forma significativa a liderança do senador por Illinois na contagem de delegados.   "A força de Hillary está não somente nas mulheres, mas nos mais velhos, ruralistas e trabalhadores democratas - os tipos de eleitores que predominam na Virgínia Ocidental", disse Bill Schneider, analista político da CNN. "Uma grande vitória da senadora irá enviar uma mensagem poderosa, de que há muitos democratas que ainda não estão prontos para Obama", completa.   Os locais de votação no Estado abriram às 6h30, no horário local, com uma vantagem de 40 pontos para a senadora, de acordo com pesquisas recentes. Hillary deverá aparecer em Charleston, na Virgínia Ocidental, na noite desta terça-feira para comemorar a vitória. Com uma índice relativamente grande de eleitorado mais velho e trabalhadores, o Estado aparece como um cenário perfeito para Hillary, do ponto de vista demográfico.   Por outro lado, mesmo uma grande vitória no Estado pode não ser capaz de ofuscar o momento de Obama. Segundo a CNN, Hillary ficou para trás do rival no número de delegados e de votos populares, além de sua campanha estar no vermelho com dívidas de US$ 20 milhões.      Resistência   A senadora diz que está lutando. Em um discurso no domingo, ela disse à multidão: "eu acho que minha mensagem favorita é de uma mulher chamada Angela. 'Mantenha-se forte', ela falou, 'isso não acabará até a mulher de terninho dizer que terminou'".   Como nos outros lugares do país, os eleitores de Virgínia Ocidental estão preocupados com a situação econômica dos Estados Unidos. Hillary não ignorou a questão e falou sobre seu plano econômico - que foi primeiramente proposto por McCain - de revogar uma lei que aumentará as taxas sobre a gasolina no verão..   "Eu estou ganhando eleitores católicos e hispânicos, trabalhadores e senhores, o tipo de voto que o senador McCain estará lutando para conseguir nas eleições gerais. Agora eu faço meu pedido a vocês, fortes trabalhadores da Virgínia Ocidental, que estão tentando descobrir o que é melhor pra vocês e suas famílias", concluiu a senadora.   Próximos passos   Enquanto Hillary parece se concentrar no presente, Obama olha para o futuro. Nesta terça-feira, o senador pareceu preocupado com as eleições gerais de novembro e com a luta contra o virtual candidato republicano, John McCain. Ao invés de fazer campanha na Virgínia Ocidental, Obama marcou uma viagem para Washington.   De acordo com a CNN, ele voltará aos comícios em Missouri e Michigan. Os dois Estados já tiveram prévias democratas, mas são consideradas regiões balançadas - tanto os democratas quanto os republicanos já olham para estes eleitores, visando as eleições gerais.   Após as primárias desta terça-feira, a disputa irá para o Kentucky e Oregon, que votarão na próxima semana. Espera-se que Hillary vença em Kentucky, enquanto em Oregon Obama é o favorito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.