Vitória de McCain colocaria EUA em 'risco', diz Obama

Declaração responde às afirmações de McCain de que país 'não pode ter um presidente que vai ser testado'

BBC,

23 de outubro de 2008 | 06h14

O candidato do Partido Democrata à Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira que a eventual eleição de seu rival, o republicano John McCain, vai "arriscar" a segurança dos EUA. Veja também:Obama abre vantagem de dois dígitos sobre McCain'Tenho mais experiência do que Obama', diz Sarah PalinConfira os números das pesquisas nos Estados Obama x McCain Entenda o processo eleitoral  Cobertura completa das eleições nos EUA Segundo ele, o próximo presidente vai enfrentar "testes" na área da segurança por causa das "políticas ruins" do presidente George W. Bush. As declarações de Obama são uma resposta às afirmações de McCain nos últimos dias de que os "EUA não podem ter um presidente que ainda vai ser testado". " Eu já fui testado várias vezes", tem dito McCain em eventos de sua campanha.  As provocações de McCain vieram depois de o vice de Obama, Joe Biden, ter declarado no final de semana que o democrata poderia enfrentar "uma grande crise internacional para testá-lo". Biden tentava comparar Obama ao presidente John Kennedy na crise da Baía dos Porcos. Em ataques diretos ao rival, Obama disse a repórteres que o republicano "muitas vezes faz floreios retóricos". "O seu ponto principal é de que o próximo governo dos EUA será testado, não importa quem vença as eleições. Mas a questão é se o novo presidente vai enfrentar estes testes levando a América em uma nova direção, mandando ao mundo um sinal claro de que estamos longe da arrogância, do unilateralismo e da ideologia". Obama também acusou McCain de querer "continuar as políticas que colocaram os EUA na crise econômica e colocaram a segurança nacional em risco". A campanha de McCain respondeu às declarações de Obama, acusando-o de não estar preparado para liderar. "Joe Biden garantiu que haverá uma crise se Obama for eleito, um sorriso para as câmeras não vai diminuir o risco da vitória de Obama", disse Tucker Bounds, um dos assessores de McCain. Joe, o investidor Obama também respondeu a outras acusações da campanha de McCain, que tem chamado seu plano econômico de "socialista". "John McCain era um socialista em 2000?", disse, referindo-se ao fato de o republicano ter se oposto ao plano de corte de impostos do presidente Bush. "Jonh McCain não está lutando por Joe, o encanador, mas por Joe, o administrador de um grande fundo de ações". As últimas pesquisas de opinião apontam que Obama lidera na preferência do eleitorado para as eleições de 4 de novembro. Uma pesquisa da rede NBC e do Wall Street Jornal indicam que Obama tem 52% da preferência, contra 42% de McCain. Já uma pesquisa do instituto Gallup mostra Obama liderando por 52%, enquanto McCain tem a preferência de 44% dos eleitores entrevistados.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições EUABarack ObamaJohn McCain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.