Wall Street lidera doações para posse de Obama

Investidores, gigantes da tecnologia e estrelas de Hollywood estão entre os que mais doaram

Kevin Drawbaugh, Reuters

17 de janeiro de 2009 | 15h38

Wall Street pode estar quebrada, mas de qualquer forma doou mais dinheiro que qualquer outra indústria americana para as festividades desta terça, 20, na tomada de posse do presidente eleito, Barack Obama, segundo indica um estudo. Os principais doadores do mundo das altas finanças incluem George Soros, Ronald Parelman e David Shaw, disse o Centro. Banqueiros e gestores se juntaram a estrelas de Hollywood e gigantes da alta tecnologia do Vale do Silício na cerimônia de juramento do presidente de número 44 dos Estados Unidos, no desfile pela Avenida Pennsyvania e nos eventos e festas posteriores. Acesso e entradas especiais estão disponíveis para os que contribuíram com US$ 50.000 dólares ao comitê inaugural ou para os que ajudaram a "reunir" somas maiores de donativos individuais. O comitê preferiu não aceitar dinheiro de corporações, grupos registrados, sindicatos ou comitês de ação política. Estrelas do cinema, como Halle Berry, Samuel L. Jackson e Sharon Stone fizeram grandes doações, como também fizeram os que trabalham por trás das câmeras, como Steven Spielberg, George Lucas e Jeffrey Katzenberg. Pessoas com laços com Wall Street doaram US$ 3,6 milhões de dólares. Advogados doaram US$ 2,5 milhões, e membros da indústria do entretenimento deram US$ 1,7 milhões A Análise do centro dos doadores da posse foi publicada em seu site da internet.

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaPosse de ObamaWall Street

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.