Washington recebe Obama com festa antes da posse

Em seu primeiro dia como presidente, ele discutirá a retirada do Iraque e o conflito no Oriente Médio

18 de janeiro de 2009 | 18h20

A capital dos Estados Unidos ganhou vida neste domingo, 18, para honrar a posse de Barack Obama como 44º presidente da República. O cantor BRuce Springsteen, acompanhado por um coral giospel, deu início a um concerto em homenagem ao presidente eleito. Embora a cerimônia oficial de posse só vá ocorrer na terça-feira, uma série de festividades já se encontra em andamento, e depois de Springsteen, o U2, Beyoncé e james Taylor também deverão cantar.   Veja também: Dez lições de Bush para Obama  Veja o programa da posse de Barack Obama Cronologia de Barack Obama  Imagens da família Obama    O evento, batizado de "We Are One: The Obama Inaugural Celebration at the Lincoln Memorial" será o primeiro dos eventos oficiais promovidos pelo Comitê da Posse Presidencial. Denzel Washington, Queen Latifah, Jamie Foxx e Martin Luther King 3 leram trechos de textos históricos. Tom hanks fez um discurso em homenagem a Abraham Lincoln. Espera-se que Obama também faça um discurso no evento.   Obama e Biden chegaram á capital na noite de sábado, numa viagem de trem que reconstituiu o trajeto de Abraham Lincoln em 1861, antes do início da Guerra Civil. Pela manhã, ambos puseram uma Coria de flores no túmulo do Soldado Desconhecido, no cemitério de Arlington, e em seguira dirigiram-se a igrejas diferentes para rezar, Obama num templo batista e Biden, numa igreja católica.   Para o concerto deste domingo, é esperada uma multidão de meio milhão de pessoas. Para a posse, são esperadas de 1 milhão a 2 milhões de pessoas.   Bruce Springsteen canta The Rising no início do concerto para Barack Obama. Foto: AP   Embora possivelmente não consiga dormir antes das 3 da manhã após os bailes da posse, Obama pretende ter na quarta-feira, seu primeiro dia no cargo, um expediente cheio, incluindo participação no Dia Nacional de Oração, a recepção de visitantes na Casa Branca e reunir as lideranças militares para começar a discutir a retirada das forças americanas do Iraque.    Seu primeiro dia como presidente também terá de ter tempo para lidar com a crise no Oriente Médio. Espera-se ainda que o novo presidente emita, em sua primeira semana no cargo, uma ordem executiva para o fechamento da prisão de Guantánamo, embora o encerramento efetivo das atividades no centro de detenção ainda deva demorar, enquanto o governo decide o destino dos cerca de 250 suspeitos de terrorismo detidos ali.   (Atualizada às 19h06)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.