REUTERS/Peter Nicholls
REUTERS/Peter Nicholls

21 feridos nos ataques em Londres estão em estado grave

Os atentados na capital britânica no último sábado, 3, deixaram 7 mortos e 48 feridos e 36 pessoas continuam internadas

O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2017 | 12h54

LONDRES – Dos 48 feridos no ataque terrorista em Londres no último sábado, 3, 21 estão internados em estado grave, segundo informações oficiais britânicas. A primeira-ministra Theresa May fez hoje uma visita privada ao hospital King’s College, em Londres, a alguns dos feridos. O atentado ainda deixou sete mortos. 

De acordo com informações do Serviço de Saúde Pública Britânica (NHS England), 36 pessoas seguem internadas. Os feridos se dividem no hospital Royal London, responsável pelo atendimento de 12 feridos, o hospital St Thomas, que mantém quatro pessoas hospitalizadas, o University College Hospital, que trata cinco pessoas, e o St Mary’s, que atende uma pessoa.Outras pessoas que se feriram nos ataques foram atendidas no local do atentado.

Na manhã deste domingo, 4, Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá, disse que havia um canadense entre os sete mortos pelos ataques. 

Por volta das 22h (18h no horário de Brasília) do último sábado, a Ponte de Londres foi fechada após testemunhas relatarem que uma van branca em alta velocidade subiu na calçada e atropelou ao menos seis pessoas. Minutos depois, surgiram informações sobre pessoas esfaqueadas num restaurante no Borough Market, famoso centro comercial de Londres.

Vídeos gravados no local mostram os clientes assustados quando policiais entraram no local com armas na mão, gritando “fiquem abaixados”. Na manhã deste domingo, o Comando Antiterrorismo da Polícia Metropolitana de Londres confirmou a prisão de 12 pessoas supostamente  ligadas ao atentado. A Polícia encontrou os suspeitos em Barking, bairro suburbano localizado na zona leste da capital inglesa.

Esse é o terceiro ataque no Reino Unido em menos de três meses. Em 22 de março, um homem atropelou dezenas de pessoas na ponte de Westminster e, na sequência, matou a facadas um policial que estava em serviço em frente ao Parlamento. O ataque deixou cinco pessoas mortas. Já no dia 22 de maio, um atentado suicida ao fim de um show de Ariana Grande em Manchester deixou 22 mortos. Posteriormente, o Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque.  

*Com informações da EFE e Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
LONDRESTheresa MayMaryJustin Trudeau

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.