40% dos eleitores liberais não apoiam atual coalizão no Reino Unido

Segundo pesquisa, eleitores acreditam que liberais democratas estão perdendo identidade partidária

Reuters

26 de julho de 2010 | 15h06

LONDRES - Quatro em cada dez britânicos que dizem ter votado nos liberais democratas não o fariam se soubessem que o partido entraria em uma coalizão com os conservadores, aponta uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 26.

 

Os liberais democratas, de centro-esquerda, uniram forças com os conservadores depois das eleições de maio no Reino Unido e formaram o primeiro governo de coalizão do país desde a Segunda Guerra Mundial.

 

A pesquisa do instituto ComRes, realizada a pedidos da rede de notícias BBC, aponta que 58% dos britânicos que votaram nos liberais democratas, partido do vice-primeiro-ministro Nick Clegg, votariam da mesma forma se soubessem que o partido se uniria aos conservadores, do premiê David Cameron.

 

Por outro lado, 86% dos eleitores conservadores dizem que repetiriam o voto se soubesse que o partido se aliaria aos liberais.

 

Desde que assumiu o governo, a coalizão anunciou planos para cortar os gastos públicos ao mesmo tempo em que combate um déficit orçamentário de 170 bilhões de libras.

 

Alguns liberais democratas estão preocupados com os riscos dos acordos feitos para a coalizão, dividindo a culpa por decisões mal vistas e raramente ganhando crédito se algumas ações se provarem boas.

 

Segundo as últimas pesquisas, o apoio ao liberais democratas decaiu. A pesquisa do ComRes mostra que 37% dos eleitores liberais democratas foram desonesto a respeito dos cortes planejados.

 

A pesquisa, realizada entre 23 e 25 de julho, também aponta que 60% dos 1.009 entrevistados creem que os liberais democratas perderam um pouco de sua identidade partidária com a coalizão com os conservadores, enquanto apenas 34% pensa que essa imagem se fortaleceu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.