5 mil são retirados de cidade italiana por bomba da 2ª Guerra

Artefato com detonador químico poderia ter sido ativado durante obras de estacionamento subterrâneo

Efe,

09 de setembro de 2008 | 12h58

Cerca de cinco mil pessoas foram retiradas do centro de Salerno, no sul da Itália, após a descoberta de uma bomba da Segunda Guerra Mundial nas obras de um estacionamento subterrâneo, informou nesta terça-feira, 9, a imprensa local. A bomba foi deslocada de forma acidental durante as obras e os especialistas temem que isso possa ter levado à ativação de seu "detonador químico". Segundo os especialistas, a explosão deste tipo de artefatos pode ocorrer a qualquer momento durante um período de cinco dias após a ativação química do mecanismo, pelo que os agentes especializados em desarmar bombas só poderão começar seus trabalhos na sexta-feira. A Prefeitura da cidade decidiu retirar todos os moradores que se encontrem em um raio de 250 metros do local no qual foi encontrada a bomba na noite de segunda, o que totaliza cerca de cinco mil pessoas, que foram enviadas a alojamentos alternativos. A bomba é de fabricação inglesa, pesa 250 quilos e pertence à época da Segunda Guerra Mundial. Segundo a imprensa local, as operações de retirada são complicadas, porque perto do lugar da descoberta há uma clínica, cujos pacientes deverão ser transferidos a outro hospital da cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.