5 países da Otan pedem que EUA retirem armas nucleares da Europa

Iniciativa será lançada em revisão da Aliança Atlântica; avanços só serão possíveis por meio de acordo com Otan

Efe,

19 de fevereiro de 2010 | 19h02

Alemanha, Bélgica, Holanda, Luxemburgo e Noruega vão pedir de forma conjunta aos Estados Unidos a retirada de todas as armas nucleares que possuem em território europeu, segundo anunciou nesta sexta-feira, 19, o primeiro-ministro belga, Ives Leterme.

 

Os cinco membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) devem apresentar a iniciativa este ano dentro da revisão do conceito estratégico da Aliança Atlântica, como explicou Leterme em um breve comunicado.

 

"A Bélgica é a favor de um mundo sem armas nucleares e defende essa postura no seio da Otan em preparação da conferência de revisão do tratado de não proliferação, de maio, em Nova York", assinalou o primeiro-ministro.

 

Segundo Leterme, os avanços concretos só serão possíveis através de um acordo sério com os membros da Otan e levando em conta os progressos nas negociações no campo de desarmamento.

 

"O Governo belga quer aproveitar a oportunidade brindada com a chamada do presidente americano (Barack Obama) a um mundo sem armas nucleares", explicou.

 

O comunicado de Leterme é uma resposta à mensagem de dois antigos primeiros-ministros belgas, Guy Verhofstadt e Jean-Luc Dehaene, e dois ex-chanceleres, Willy Claes e Louis Michel, publicada nesta sexta na imprensa.

 

Nele, os quatro pedem a retirada do arsenal atômico americano na Europa e asseguram que este "perdeu toda sua importância militar". "A Guerra Fria terminou. É momento de adaptar nossa política nuclear às novas circunstâncias", assinalam os quatro políticos.

Tudo o que sabemos sobre:
Otanarmas nuclearesEUAEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.