Acordo determina retirada russa da Geórgia, diz Sarkozy

A Rússia tem de retirar-se de todas asgrandes cidades da Geórgia, segundo o acordo de paz assinado,apesar de condições autorizando "medidas de segurançaadicionais", diz uma carta enviada pelo presidente da França,Nicolas Sarkozy, ao líder da Geórgia, Mikhail Saakasvhili. "Como especifiquei em nossa entrevista conjunta à imprensaem Tbilisi, estas 'medidas de segurança adicionais' somentepodem ser implementadas na proximidade imediata da Ossétia doSul e excluem qualquer outra parte do território georgiano",diz a carta, tornada pública pelo gabinete de Sarkozy nodomingo. O acordo firmado esta semana pela França autoriza as forçasrussas a adotar temporariamente medidas adicionais de segurançaaté a chegada de forças de paz internacionais --as quaisdependem da aprovação de uma resolução do Conselho de Segurançada ONU. Permanece a incerteza sobre quanto tempo levará a Rússiapara retirar as tropas e até onde elas irão. Neste sábado, aGeórgia acusou as tropas russas de cortarem a principal ligaçãoferroviária leste-oeste do país ao explodirem uma ponte emplena luz do dia. A Rússia negou que suas forças tenham sido responsáveispela destruição da ponte. A carta de Sarkozy diz que, segundo o acordo, as forçasrussas não seriam autorizadas a permanecer em nenhuma dasgrandes cidades fora da Ossétia do Sul e o transporterodoviário e ferroviário deverá ser assegurado. "Mais precisamente, estas 'medidas' só podem serimplementadas dentro de uma zona de poucos quilômetros doslimites administrativos entre a Ossétia do Sul e o restante daGeórgia, de tal modo que nenhum grande centro urbano aí estejaincluído --estou pensando em particular na cidade de Gori", diza carta. "Arranjos especiais terão de ser definidos para garantir aliberdade de movimento pelas rotas rodoviárias e ferroviáriasda Geórgia," afirma o texto. (Escrito por James Mackenzie)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.