Acordo do Ocidente com Hitler deu início à 2ª Guerra, diz Putin

Premiê russo culpa França e Alemanha por deixaram União Soviética sozinha para enfrentar a Alemanha nazista

Associated Press,

31 de agosto de 2009 | 13h02

O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que a Segunda Guerra Mundial só aconteceu por conta de um acordo entre países do ocidente com a Alemanha nazista, segundo seu artigo publicado no jornal polonês Gazeta Wyborcza nesta segunda-feira, 31.

 

No texto, Putin condena o tratado firmado em 1939 entre Moscou e Berlim para dividir a Europa e o considera imoral, mas também criticou o pacto de britânicos e franceses com os nazistas, que julga serem os responsáveis por dar início ao conflito ao deixarem a então União Soviética sozinha contra os alemães.

 

Às vésperas de uma visita à Polônia para assistir a atos pelo aniversário da Segunda Guerra Mundial, Putin pediu a inclusão da Rússia nos esforços para estabelecer um sistema europeu de segurança.

 

O premiê russo usou um tom conciliatório ao mencionar o polêmico assunto do massacre de militares e intelectuais poloneses por parte da polícia secreta soviética em 1940 no bosque de Katyn e outras localidades.

 

A chanceler alemã, Angela Merkel, e outros líderes europeus assistirão na terça-feira, 1º, às cerimônias em Westerplatte, um antigo posto militar polonês que resistiu a um ataque nazista na primeira semana da invasão alemã. Para os poloneses, essa península no mar Báltico se converteu em um símbolo de heroísmo durante a guerra.

 

A Alemanha nazista iniciou o conflito mundial ao invadir a Polônia em 1º de setembro de 1939, poucos dias depois do chanceler Joachim von Ribbentrop firmar um acordo de não agressão mútuo com seu homólogo soviético, Viacheslav Molotov.

 

As tropas soviéticas invadiram a Polônia 16 dias mais tarde, o que os poloneses consideraram uma "punhalada nas costas", após o tratado de divisão da Europa assinado com Hitler. Putin disse que Moscou não tinha outra escolha e culpou os líderes ocidentais por não se oporem a Hitler em seus aspirações de expansão territorial.

 

"Sem dúvidas, existem argumentos suficientes para condenar o pacto Molotov-Ribbentrop de 1939, mas depois de tudo, um ano antes, França e Inglaterra firmaram um bem conhecido acordo com Hitler em Munique, destruindo toda a esperança de criar uma frente unida para combater o fascismo", escreveu Putin.

 

O premiê russo disse que o tratado de Munique respaldou Hitler e mostrou-lhe que não encontraria oposição. A Polônia, entretanto, argumenta que foi o acordo Ribbentrop-Molotov que deu início à guerra, que tirou a vida de mais de 40 milhões de pessoas, incluindo seis milhões de poloneses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.