Acusado de homicídio confessa 'ter feito sexo' com cadáver

Sally Anne Bowman, de 18 anos, foi esfaqueada e mordida em frente a sua casa, no sul de Londres

BBC BRASIL

05 de fevereiro de 2008 | 19h18

O chef de cozinha Mark Dixie, acusado de assassinar uma modelo na Grã-Bretanha, confessou nesta terça-feira, 5, ter mantido relações sexuais com a vítima depois que ela já estava morta. Sally Anne Bowman, de 18 anos, foi esfaqueada e mordida repetidas vezes do lado de fora de sua casa, em Croydon, no sul de Londres, em setembro de 2005.  Dixie, de 35 anos, nega o assassinato de Bowman, mas, na audiência desta terça-feira em Londres, confessou que manteve relações sexuais com o corpo da modelo quando ela se encontrava em uma poça de sangue na entrada da garagem de sua casa.De acordo com o depoimento que prestou nesta terça-feira, Dixie havia bebido, tomado drogas e "se aproveitado da situação".  DNA e digital  Segundo o promotor Brian Altman, o namorado de Sally Anne Bowman deixou a modelo na casa de sua mãe por volta das 4 horas da manhã, depois de terem saído juntos, em setembro de 2005.  Vizinhos ouviram os gritos da modelo cerca de 20 minutos depois, mas o corpo foi descoberto apenas no início da manhã, às 6h30. Traços do DNA de Dixie foram encontrados no corpo de Bowman, uma digital do acusado foi identificada no sapato da modelo e o corpo da vítima tinha marcas de mordidas do suspeito no rosto, no pescoço e nos seios.  A família de Sally Anne Bowman, que morreu apenas duas semanas depois de completar 18 anos, estava presente no julgamento, que ainda não chegou ao fim.

Mais conteúdo sobre:
assassinatoreino unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.