Advogado russo diz que Snowden corre perigo após declarações hostis

Edward Snowden precisa de uma melhor segurança depois que uma reportagem citou funcionários de inteligência norte-americanos não identificados dizendo que queriam o ex-agente de espionagem morto e que estavam discutindo maneiras de matá-lo, disse seu advogado russo nesta terça-feira.

STEVE GUTTERMAN, Reuters

21 de janeiro de 2014 | 22h04

Snowden recebeu asilo na Rússia no ano passado depois de fugir dos Estados Unidos, onde é procurado por acusações de espionagem após vazar informações sobre as práticas generalizadas de vigilância do governo norte-americano.

As revelações de Snowden causaram um alvoroço nos Estados Unidos sobre os direitos de privacidade e irritaram muitos aliados dos EUA. A decisão da Rússia de abrigá-lo prejudicou as já tensas relações entre Moscou e Washington.

"Estamos preocupados com possíveis ameaças ocultas que temos ouvido frequentemente nos últimos tempos. Nestas declarações... eles defendem abertamente uma represália física contra Edward Snowden", disse o advogado Anatoly Kucherena na TV estatal russa Rossiya-24.

Sem nomear qualquer veículo de comunicação, ele se referiu a comentários publicados pelo site BuzzFeed, que citou um funcionário do Pentágono dizendo que adoraria dar um tiro na cabeça de Snowden.

O BuzzFeed citou um oficial de inteligência do Exército dos EUA dizendo que o ex-agente da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) poderia ser morto no estilo da Guerra Fria, picado com uma agulha envenenada ao voltar para casa vindo do supermercado.

"Edward, é claro, trata essas observações como uma ameaça real à sua vida, porque ele vive uma vida normal e vai até o mercado e sai na rua", disse Kucherena.

"Edward deve pensar em sua segurança e, provavelmente, agora não seja suficiente para ele ter apenas seguranças particulares - é necessário pensar sobre como proteger a sua vida e saúde", disse ele.

(Reportagem adicional de Mark Hosenball, em Washington)

Tudo o que sabemos sobre:
RUSSIASNOWDENSEGURANCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.