Aeroportos europeus entram em alerta após incidente nos EUA

Autoridades do Reino Unido, França, Itália, Espanha e Holanda reforçam segurança depois de ataque frustrado

Efe e Reuters,

26 de dezembro de 2009 | 14h34

Os aeroportos da Europa elevaram os níveis de segurança neste sábado, 26, após um homem ter tentado detonar um explosivo em um voo de Amsterdã para Detroit ontem. Autoridades do Reino Unido, França, Itália, Espanha e Holanda reforçaram as medidas de segurança nos aeroportos seguindo uma recomendação do Departamento de Transporte dos EUA.

 

A Polícia Metropolitana de Londres, mais conhecida como Scotland Yard, também anunciou que está fazendo batidas com relação ao atentado frustrado. "Estamos em contato com as autoridades dos EUA. Estão sendo feitas batidas como parte das investigações em curso", afirmou uma porta-voz da Scotland Yard.

 

Para a Casa Branca, o incidente registrado, protagonizado por um nigeriano, foi uma tentativa de ataque terrorista. O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse que o Reino Unido adotará "qualquer ação que for necessária" para proteger os passageiros, porque "a segurança cidadã deve ser sempre a primeira preocupação."

 

Brown afirmou que mantém contatos com o comissário-chefe da Scotland Yard, Paul Stephenson, devido à "grave ameaça potencial" que o ataque fracassado representa. O detido é um homem de 23 anos chamado Abdul Farouk Abdulmutallab, que, segundo as redes de TV ABC e NBC, estudou engenharia na University College de Londres.

 

m porta-voz da UCL se limitou a confirmar hoje que "um estudante chamado Umar Farouk Addulmutallab se matriculou em um curso de engenharia mecânica na instituição entre setembro de 2005 e junho de 2008". "No entanto, é preciso ressaltar que a universidade não tem provas de que esta seja a mesma pessoa que a imprensa cita", explicou o porta-voz.

 

Após o ataque frustrado de Detroit, onde o avião pousaria, o aeroporto de Heathrow informou neste sábado em seu site que os passageiros que forem para os EUA terão que passar por revistas "adicionais."

 

INVESTIGAÇÃO

 

O nigeriano preso pelo episódio é filho de um importante ex-banqueiro, disse um membro da família à agência Reuters. "É meu irmão", afirmou Abdul Mutallab, filho de Umaru Mutallab, proeminente banqueiro do estado de Katsina, no norte do país.

 

O jornal nigeriano This Day citou membros da família que disseram que Umaru Mutallab estava desconfortável com as "visões religiosas extremistas" de seu filho, e havia informado as agências de segurança dos EUA e Nigéria há seis meses.

 

Texto atualizado às 15h30.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.