Alemães protestam contra pacote de cortes de gastos de Merkel

Dezenas de milhares de alemães protestaram neste sábado contra o que está sendo considerado como o maior pacote de austeridade da Alemanha desde a Segunda Guerra Mundial.

REUTERS

12 de junho de 2010 | 14h14

O governo da coalizão cada vez mais impopular da chanceler Angela Merkel acertou na segunda-feira um pacote de cortes orçamentários para trazer o déficit federal de volta aos limites estabelecidos pela União Europeia até 2013.

A polícia estimou que até 10 mil pessoas participaram dos protestos contra o pacote em Stuttgart, neste sábado, enquanto os organizadores disseram que entre 15 mil e 20 mil pessoas participaram de manifestações em Berlim.

"A crise é chamada capitalismo", "Emprego, direitos humanos, futuro seguro para todos" e "Aposentadorias dignas" estavam entre mensagens pintadas em faixas carregadas pelos manifestantes.

O governo de Merkel propôs economizar 30 bilhões de euros (36,11 bilhões de dólares) nos próximos quatro anos em direitos sociais, principalmente com mecanismos de amparo a desempregados, e cortes de milhares de empregos no governo federal.

Uma pesquisa da Infratest mostrou que 79 por cento dos alemães acredita que o pacote de cortes não é equilibrado socialmente e 93 por cento acha que as medidas não são suficientes para cumprir a meta de economias estabelecida pelo governo.

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAPROTESTOPACOTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.