Alemanha espera que `mesa-redonda' na Ucrânia ajude a desarmar rebeldes

O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse na Ucrânia nesta terça-feira esperar que as conversas da "mesa-redonda" entre políticos e grupos civis nesta semana ajudem a desarmar separatistas pró-Rússia e a melhorar a atmosfera para as eleições marcadas para o fim deste mês.

Reuters

13 Maio 2014 | 10h18

Steinmeier encontrou-se com o primeiro-ministro Arseny Yatseniuk no aeroporto de Kiev antes de viajar para a cidade de Odessa, no Mar Negro, local de mortais confrontos entre forças ucranianas e rebeldes.

A situação em partes da Ucrânia permanece “perigosa e ameaçadora”, disse o ministro alemão, acrescentando que a prioridade é que o máximo de eleitores possível participe das eleições de 25 de maio.

“Nós também apoiamos seus esforços para lançar um diálogo nacional, sob controle da Ucrânia, aqui em seu país, por meio de mesas redondas”, afirmou Steinmeier em uma coletiva de imprensa conjunta com Yatsenyuk.

“Espero que sob essas condições seja possível tomar medidas para recuperar prédios ocupados e eventualmente desarmar grupos ilegais e restaurar o monopólio do Estado sobre a violência”, afirmou o ministro alemão.

Yatseniuk agradeceu o diplomata alemão Wolfgang Ischinger, que chefia a Conferência de Segurança de Munique, por estar preparado para ser um dos moderadores da “mesa redonda”, a qual Kiev diz que pode começar na quarta-feira.

O governo ucraniano tem se negado a dizer quais grupos vão participar das conversas, mas o presidente em exercício Oleksander Turchinov já disse que “terroristas" - referindo-se a rebeldes - não podem participar.

(Por Stephen Brown em Berlim)

Mais conteúdo sobre:
ALEMANHA UCRANIA DIALOGO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.