Alemanha investiga nova suspeita de espionagem dos EUA

A Alemanha está investigando uma suspeita de espionagem dos EUA sobre seus militares, disse uma fonte de segurança, dias após a prisão de um membro de sua própria agência de inteligência sob acusação de ser um agente duplo, criando novo atrito nas relações com Washington já prejudicadas por outros episódios de espionagem. 

REUTERS

09 de julho de 2014 | 12h01

O gabinete da Promotoria Federal disse em um comunicado que as autoridades haviam começado a conduzir buscas em Berlim nesta quarta-feira de manhã, em conexão com um suposto espião, o qual não tinha sido preso. Não foram divulgados mais detalhes. 

"A suspeita vem dos militares", disse uma fonte de segurança à Reuters, sob condição de anonimato. 

A nova investigação acontece apenas alguns dias após a Alemanha ter prendido um funcionário de 31 anos do serviço de inteligência BND, que admite ter passado documentos para um contato dos Estados Unidos. O Ministério de Relações Exteriores convocou o embaixador dos EUA para explicar o caso. 

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse na segunda-feira que, caso seja verdade que o oficial do BDN estava espionando para os Estados Unidos, seu aliado na Otan, este seria um "caso sério". 

Os documentos incluíam detalhes de uma investigação de um comitê parlamentar sobre as alegações do ex-colaborador de inteligência dos EUA Edward Snowden de que Washington realizava vigilância na Alemanha, inclusive no telefone de Merkel. 

O novo caso, relatado nesta quarta-feira, é considerado mais sério do que o da semana passada, disse o jornal Sueddeutsche Zeitung.

O Ministério da Defesa confirmou que havia uma investigação em andamento, mas declinou dar quaisquer detalhes. A Embaixada dos EUA em Berlim não comentou sobre o assunto. 

(Por Sabine Siebold e Thorsten Severin)

Tudo o que sabemos sobre:
ALEMANHAESPIONAGEMEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.